close
logorovivo2

ESPERANÇA: Fumar gosma de sapo pode ser benéfico contra depressão, diz estudo

As pessoas inalaram vapor produzido a partir da secreção desidratada do animal. Os índices de depressão diminuíram 18% um dia após o teste

METRÓPOLES

24 de Abril de 2019 às 11:52

ESPERANÇA: Fumar gosma de sapo pode ser benéfico contra depressão, diz estudo

FOTO: (Divulgação)

Uma substância leitosa expelida das glândulas de um sapo norte-americano pode ajudar a aliviar os sintomas da depressão, conforme aponta um estudo publicado na revista científica Psychopharmacology. A análise foi feita a partir de um vapor inalado pelos participantes, produzido da gosma do animal desidratada e depois fumada.

 

Bufo alvarius, também conhecido como Sapo do Rio Colorado, vive no sudeste dos Estados Unidos e no norte do México. O anfíbio já aparece em relatos indígenas, mas sem grande comprovação médica. O líquido liberado pelo bicho contém um composto chamado 5-MeO-DMT. A substância é um psicodélico da classe das triptaminas presente em outros alucinógenos, como o chá ayahuasca, também conhecido como Santo Daime.

 

A pesquisa foi feita com base na experiência de 42 participantes que inalaram o vapor. O objetivo era medir os efeitos 24h após o consumo e novamente após quatro semanas do uso. Somente 24 participantes completaram os testes até as últimas semanas. De acordo com os resultados, os níveis de depressão diminuíram 18% um dia após a inalação do composto, a ansiedade reduziu 39% e o estresse, 27%. Quatro semanas depois, os resultados foram maiores: as taxas de depressão baixaram 68% e as de ansiedade e estresse, 56% e 48%, respectivamente.

 

Apesar dos resultados bem-sucedidos, ainda não se sabe ao certo como a substância age como antidepressivo, mas o estudo aponta que o 5-MeO-DMT pode estimular a formação de novos neurônios no cérebro.

 

Um outro estudo, conduzido na universidade de Johns Hopkins, mostrou que uma forma sintética do 5-MeO-DMT também tem efeitos positivos no tratamento da depressão e da ansiedade. Nesse caso, 80% dos participantes apresentaram melhora.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS