close

MOMENTO LÍTERO CULTURAL

POR SELMO VASCONCELLOS

12 de Novembro de 2019 às 10:59

MOMENTO LÍTERO CULTURAL

FOTO: (DIVULGACÃO)

 

1997 – 1998 – 1999 - POESIAS

 

17.Janeiro.1997 – M.L.C. nº 302.

NEIDE BARROS RÊGO – Niterói, RJ

Reflexão

 

Espinhos, lágrimas, dor

tristeza, ódio, revolta,

Ah! Nem o Criador

pode trazer a minha mãe de volta!

 

25.Janeiro.1997 – M.L.C. nº 303.

ALCEU BRITO – Brasília, DF.

Res Non Verba

 

Estrelas, sonhos de espera

longa. Ousada de amar

em vão. Pintura, aquarela,

borrão de tinta a vagar

lembranças daqueles tempos

crianças, algazarras

parques bolas templos,

pensamentos como garras.

 

SILÉA MACIEIRA – Niterói, RJ.

Aconchego

 

Em meio à brisa e à flor

Sendo o amor sua força vontade

Existe um pouso,

Uma via,

Viagem.

 

Algo mais entre o céu e a terra:

Magia.

Face real da miragem.

 

21.Fevereiro.1997 – M.L.C. nº 307.

LAU SIQUEIRA – João Pessoa, PB

Mercado Central de João Pessoa

 

São tristes

As folhas murchas

Do repolho

Que um homem faminto

Não pode comer.

 

21.Março.1997 – M.L.C. nº 311.

DINOVALDO GILIOLI – Florianópolis, SC.

de lírio

em lírio

delírios

 

28 e 29.Março.1997 – M.L.C. nº 312.

THIAGO MENEZES – Itapira, SP

MADRUGADAS DESCONHECIDAS

 

Há sempre sonhos perdidos

nos passos de minha lucidez mórbida,

com luzes desesperançosas

e lamentos murmuriantes.

No relógio de meu tempo

os sons perdidos, que

outrora foram canções radiosas,

transpõem as frustrações

dos desagregados.

estes brincam com o destino

e esperam madrugadas desconhecidas...

 

18.Abril.1997 – M.L.C. nº 315.

ELIANA SEBBEN PEDROTTI – Bento Gonçalves, RS.

IMPUREZAS

 

Ando nua

Sem angustia

Nem fazer mais caso

Do encobrir

A grande inocência.

 

ANAIR WEIRICH – Chapecó, SC.

MASOQUISMO

 

Me escondo nas dores

Que os amores me trazem.

E busco nas fugas

Aquilo que me sugas

Do mal que me fazem

 

27.Junho.1997 – M.L.C. nº 324.

ZANOTO – Varginha, MG.

Andávamos devagar

Sob a brisa,

Levando profundo arrebatamento

No olhar preciso e atento

A certeza

De nossa busca do mundo

 

25.Julho.1997 – M.L.C. nº 328.

MARLY NASCIMENTO BRASILIENSE – São Bernardo do Campo,SP

COLISÃO

 

Eu triste degradada

Por tanto amor degradada

Sou espectro de emoção!

Andarilha, o que me resta

É a clausura para este coração.

 

Nesta profunda cogitação

Nego, renego minha emoção

Trombo com as maldadas...

Quase que morro de loucura

Tanta dor me desfigura

Só encontro falsidade!

 

1º.Agosto.1997 – M.L.C. nº 329.

DORONI HILGENBERG – Manaus, AM.

Terraço

 

O último andar

é dos poetas,

que mesmo distante da lua

estão mais perto dos sonhos.

 

22.Agosto.1997 – M.L.C. nº 332.

RENATA PACCOLA FRISHKOM – São Paulo, SP.

Ao saudar um novo dia,

o pássaro, em liberdade,

traz no canto a melodia

de um hino à felicidade!

 

2 e 3.Outubro.1997 – M.L.C. nº 338.

LARI FRANCESCHETTO – Veranópolis, RS

Identidade

 

Pássaros casas

Pássaros cantam

Pássaros asas

Pássaros passam,

O que há de tão igual em mim?

 

14.Novembro.1997 – M.L.C. nº 344.

GOULART GOMES – Salvador, BA

ÁCIDO

 

A água furou a pedra

moinhos de Amsterdã

a manhã será mais bela.

 

21.Novembro.1997 – M.L.C. nº 345.

JACK RUBENS – Porto Velho, RO

CARTÃO

 

Mando-te rosas

e votos de boa vista...

os espinhos ficam comigo

 

JOCIMAR ALVARES BUENO – Belo Horizonte, MG

Ame, ame, embora tudo se desmanche,

abra seu céu azul e branco interior,

pois, em se amando, há pouca chance,

Que chance poderá haver sem amor?

 

6.Fevereiro.1998 – M.L.C. nº 356.

CHEILA STUMPF – Santa Cruz do Sul, RS – CRUZ

CRUZ

 

Não tenho lugar

Pra enterrar

O que morreu em mim.

Fico pelas praças,

Perambulando,

Com essa cruz

Que não tem onde pousar.

 

6.Março.1998 – M.L.C. nº 360.

ALICE SPÍNDOLA – Goiânia, GO

TRAVESSURAS

 

Minha voz

Vai com o vento

Deixando perfume

De beijos esperados

Espalhando queixumes

Encaracolados

Nas travessuras

Do momento

 

15.Maio.1998 – M.L.C. nº 370.

ALDENOR BENEVIDES – Juazeiro do Norte, CE

Toda biblioteca, pública ou particular,

ao entrar-se nela a porta deve ser beijada.

 

5.Junho.1998 – M.L.C. nº 373.

ZANOTO – Varginha, MG

Quantas intenções

Viciosas

Numa frase inocente

E pura,

Que de você ocultei,

No risco da pergunta.

 

24.Julho.1998 – M.L.C. nº 380.

JEAN-PAUL MESTAS – NANTES, FRANÇA.

Poema do Silêncio Prolongado

 

Foi isto que aconteceu:

 

Antes precisamente de morrer

Os homens partiram.

E na terra permaneceu

Cansada indiferente.

 

TÂNIA LURDES SCHWAB – Ijuí, RS

Sou

 

O silêncio de quem ouve

O murmúrio de uma prece

A fadiga de uma insônia

A insônia de uma fadiga

O refúgio dos incompreendidos

O suspiro de uma dor

A desgraça dos que vão

O consolo dos aflitos

 

.Março.1999 – M.L.C. nº 413.

ASTRID CABRAL – Rio de Janeiro, RJ

FILHOS

 

Na noite de meu corpo

Dormiram a fabricar

Seus destinos em pausa

De treva e segredo:

Fermento da vida

Fiando o ser para

O esplendor do dia

 

18.Junho.1999 – M.L.C. nº 425.

NEIDE ARCHANJO – Rio de Janeiro, RJ.

ÁGUAS E MARES

 

Porque sendo água por fora

As palavras são mares por dentro.

 

JACQUES CANUT – AUNCH, FRANÇA

(Tradução IRINEU VOLPATO)

JARDIM EM FRENTE

 

Místicos;

Contemplam a nudez

Do céu

Como a de uma mulher :

Cariciada languidamente

Sem que o desejo

A machuque.

 

TERESINKA PEREIRA – Ohio, EUA

Tudo é vazio na vida

O que enche é a flor

Do minuto exato.

MAIS COLUNAS

Selmo Vasconcellos

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS