close
logorovivo2

URGENTE: Justiça suíça revoga efeito suspensivo, e Guerrero não atua mais em 2018

Recurso obtido pelo jogador em maio não tem mais validade, atacante ficará oito meses longe dos gramados e não poderá estrear pelo Internacional

GE

23 de Agosto de 2018 às 09:18

URGENTE: Justiça suíça revoga efeito suspensivo, e Guerrero não atua mais em 2018

FOTO: (Divulgação)

Justiça Comum da Suíça revogou o efeito suspensivo superprovisório concedido em maio deste ano, e Guerrero terá que cumprir o resto da pena - mais oito meses longe dos gramados. Por ter esgotado o último recurso, o peruano não tem mais caminho jurídico para tentar modificar a decisão.

 

Guerrero cumpriu seis meses de pena e não poderá atuar mais em 2018.

 

Inicialmente, o atacante foi condenado a cumprir um ano de suspensão por doping causado por um metabólito da cocaína, em outubro do ano passado, no jogo contra a Argentina pelas eliminatórias. Em dezembro, Guerrero conseguiu a redução da pena para seis meses - o que permitiu ao peruano voltar a vestir a camisa do Flamengo em maio deste ano e liberaria o jogador para disputar o Mundial da Rússia.

 

Guerrero voltou a jogar no dia 6 de maio, apenas três dias após ser julgado em última instância pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), em Lausanne, na Suíça. Ele participou de três jogos do Flamengo neste período, contra Inter, Ponte Preta e Chapeconese, marcando um gol contra a equipe catarinense.

 

Guerrero comemora gol contra a Chapecoense  (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Guerrero comemora gol contra a Chapecoense (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

 

Ainda em maio, o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), na Suíça, ampliou a pena para 14 meses de suspensão. No entanto, o peruano conseguiu efeito suspensivo superprovisório na Justiça Comum da Suíça, possibilitando sua participação no Mundial de 2018.

 

O atacante disputou a Copa do Mundo da Rússia pela seleção peruana, mas caiu na fase de grupos. Deixou a sua marca na vitória por 2 a 0 sobre a Austrália. Em julho, voltou ao Flamengo para aparecer em mais quatro compromissos pelo Brasileirão.

 

Neste mês, o atacante assinou contrato por três temporadas com o Internacional, mas não chegou a atuar com a camisa do Colorado. Conforme apurado, o clube gaúcho ofereceu um contrato de risco e produtividade. Ou seja, terá meta de participação por jogos, premiações e mais luvas, a serem quitadas juntamente com o salário. A expectativa do clube era que essa punição ao jogador voltasse à tona apenas no fim do ano

 

A equipe de reportagem entrou em contato com os advogados de Paolo Guerrero, que preferem não se manifestar no momento. A cúpula do Internacional, por sua vez, recebeu com surpresa a notícia e convocou uma reunião para a manhã desta quinta-feira. O clube deve se pronunciar somente depois disso.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS