69 99353-3037 | 69 3225-5866

Logo Rondoniaovivo - Notícias, Classificados e Banco de Empregos de Rondônia

Sábado, 22 de Julho de 2017


Quinta-Feira, 18 de Maio de 2017 às 14:46 - Atualizado em Quinta-Feira, 18 de Maio de 2017 às 15:12

69 99353-3037 COMUNICAR ERRO

As cenas que provam a entrega de propina aos indicados de Temer e Aécio

A delação da JBS, a mais dura em três anos de Lava-Jato, merece este título em grande parte devido às cenas a seguir. Nelas, o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), destacado pelo presidente Michel Temer para tratar com Joesley Batista dos interesses de seu grupo empresarial, é flagrado pegando R$ 500 mil em propina — a primeira parcela de um montante prometido de R$ 480 milhões. As cenas abaixo mostram esta entrega, ocorrida em 28 de abril deste ano.


As cenas também são devastadoras para o presidente do PSDB, o senador mineiro Aécio Neves. A Polícia Federal filmou o primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, pegando, a mando de Aécio, R$ 1,5 milhão em propina — três quartos dos R$ 2 milhões que Aécio pediu, sem saber que era gravado, para Joesley. As cenas abaixo mostram a primeira entrega, ocorrida em 12 de abril deste ano.

Já o presidente do PSDB indicou o primo Frederico Pacheco de Medeiros para receber o dinheiro. Fred, como é conhecido, foi diretor da Cemig, nomeado por Aécio, e um dos coordenadores de sua campanha a presidente em 2014. Tocava a área de logística. Quem levou o dinheiro a Fred foi o diretor de Relações Institucionais da JBS, Ricardo Saud, um dos sete delatores. Foram quatro entregas de R$ 500 mil cada uma. A PF filmou três delas. As cenas abaixo mostram a primeira entrega, ocorrida em 19 de abril deste ano.
As filmagens da PF mostram que, após receber o dinheiro, Fred repassou, ainda em São Paulo, as malas para Mendherson Souza Lima, secretário parlamentar do senador Zeze Perrella (PMDB-MG). Mendherson levou de carro a propina para Belo Horizonte. Fez três viagens — sempre seguido pela PF. As investigações revelaram que o dinheiro não era para advogado algum. O assessor negociou para que os recursos fossem parar na Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários, de Gustavo Perrella, filho de Zeze Perrella. As cenas abaixo mostram a primeira entrega, ocorrida em 12 de abril deste ano.
Um dos grandes diferenciais da delação dos donos da JBS foi exatamente as "ações controladas" feitas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e pela Polícia Federal. Neste mecanismo de investigação, o flagrante do crime é calculado de maneira que seja produzida uma determinada prova. Nessa investigação, a PF acompanhou, com câmeras e escutas, a entrega de dinheiro para intermediários de Temer e de Aécio.

ESQUEMA NO CADE

O primeiro contato entre Rocha Loures e Joesley foi em Brasília. O dono da JBS lhe contou o que precisava do Cade.

Desde o ano passado, o órgão está para decidir uma disputa entre a Petrobras e o grupo sobre o preço do gás fornecido pela estatal à termelétrica EPE. Localizada em Cuiabá, a usina foi comprada pelo grupo em 2015. Explicou o problema da EPE: a Petrobras compra o gás natural da Bolívia e o revende para a empresa por preços extorsivos. Disse que sua empresa perde "1 milhão por dia" com essa política de preços. E pediu: que a Petrobras revenda o gás pelo preço de compra ou que deixe a EPE negociar diretamente com os bolivianos.

Com uma sem-cerimônia impressionante, o indicado de Temer ligou para o presidente em exercício do Cade, Gilvandro Araújo. E pediu que se resolvesse a questão da termelétrica no órgão. Não há evidências de que Araújo tenha atendido ao pedido. Pelo serviço, Joesley ofereceu uma propina de 5%. Rocha Loures deu o seu ok.: "Tudo bem, tudo bem". Para continuar as negociações, foi marcado um novo encontro.

Desta vez, entre Rocha Loures e Ricardo Saud, diretor da JBS e também delator. No Café Santo Grão, em São Paulo, trataram de negócios. Foi combinado o pagamento de R$ 500 mil semanais por 20 anos, tempo em que vai vigorar o contrato da EPE.

Ou seja, está se falando de R$ 480 milhões ao longo de duas décadas, se fosse cumprido o acordo. Loures disse que levaria a proposta de pagamento a alguém acima dele. Saud faz duas menções ao "presidente".

Pelo contexto, os dois se referem a Michel Temer. A entrega do dinheiro foi filmada pela PF. Mas desta vez quem esteve com o homem de confiança de Temer foi Ricardo Saud, diretor da JBS e um dos sete delatores. Esse segundo encontro teve uma logística inusitada.

Certamente, revela o traquejo (e a vontade de despistar) de Rocha Loures neste tipo de serviço. Assim, inicialmente Saud foi ao Shopping Vila Olímpia, em São Paulo.

Em seguida, Rocha Loures o levou para um café, depois para um restaurante e, finalmente, para a pizzaria Camelo, na Rua Pamplona, no Jardim Paulista. Foi neste endereço, próximo à casa dos pais de Rocha Loures, onde ele estava hospedado, que o deputado recebeu a primeira remessa de R$ 500 mil.

Apesar do acerto de repasses semanais de R$ 500 mil, até o momento só foi feita a primeira entrega de dinheiro. E, claro, a partir da homologação da delação, nada mais será pago.

Rocha Loures, o indicado por Temer, é um conhecido homem de confiança do presidente. Foi chefe de Relações Institucionais da Vice-Presidência sob Temer. Após o impeachment, virou assessor especial da Presidência e, em março, voltou à Câmara, ocupando a vaga do ministro da Justiça, Osmar Serraglio.

 

 

 

CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA AMPLIAR.


Fonte: O Globo

Tag's: Rondoniaovivo, politica

GOSTOU DA MATÉRIA, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS E FAMILIARES:

69 99353-3037




PUBLICIDADE





Polícia | 06:33
PATETA - Suspeito atira no próprio braço durante roubo em comércio

Polícia | 06:16
Suspeito de estuprar idosa é hospitalizado após levar surra de populares

Polícia | 21/07/2017 | 19:00
SOCOS NA CABEÇA - Marido desmaia mulher na porrada

Rolim de Moura | 21/07/2017 | 17:55
Entidades recebem feijão do Programa de Aquisição de Alimentos

Vilhena | 21/07/2017 | 17:44
VIGILÂNCIA - Tabacarias são alvos de fiscalização

Blog de Ponta Cabeça | 21/07/2017 | 17:47
Concurso de Miss e Mister Beleza Oficial

Polícia | 21/07/2017 | 17:43
IMPRUDÊNCIA - Grave colisão entre três veículos deixa mulher ferida

Brasil | 21/07/2017 | 17:01
Com alta de imposto, litro da gasolina já chega a R$ 4,39

Política | 21/07/2017 | 16:42
Municípios podem explorar travessias, segundo projeto de Lúcio Mosquini

Política | 21/07/2017 | 16:26
Márcio Oliveira cobra reposição asfáltica e faixa de pedestre em frente a Escola

Polícia | 21/07/2017 | 16:12
BRUTALIDADE - Morador de rua é atacado a pauladas; Vídeo

Cultura | 21/07/2017 | 16:07
Festival Amazônia Encena na Rua começa na Três Caixas D´Água

Polícia | 21/07/2017 | 16:03
​NOTA PÚBLICA - PREFEITURA: Adequações nos cargos comissionados

Brasil | 21/07/2017 | 16:02
Prisão domiciliar com monitoramento eletrônico não é alternativa ao regime

Polícia | 21/07/2017 | 15:26
NA SUL - PM prende dupla com droga e objetos de procedência duvidosa

Comércio e Indústria | 21/07/2017 | 15:23
MASTTER MOTO- Promoção Mês do motociclista

Ariquemes | 21/07/2017 | 15:18
Rapaz é preso pela Polícia Civil por roubo a residência

Rondônia | 21/07/2017 | 15:18
Tratamento diminui viagens de pacientes com câncer

Brasil | 21/07/2017 | 15:10
Mega-Sena pode pagar segundo maior prêmio do ano neste sábado (22)

Cultura | 21/07/2017 | 15:33
CINE VENEZA - Confira os ganhadores da promoção

Ministro Andreazza | 21/07/2017 | 15:03
Agência Idaron é inaugurada; município tem rebanho de 130 mil cabeças

Comércio e Indústria | 21/07/2017 | 14:56
Nessas férias o Salsalito tem oferta para você

Theobroma | 21/07/2017 | 14:55
‘Lebrão’ sofre grave acidente e é socorrido ao HCR com fraturas expostas