69 99353-3037 | 69 3225-5866

Logo Rondoniaovivo - Notícias, Classificados e Banco de Empregos de Rondônia

Terça-Feira, 26 de Setembro de 2017


Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017 às 09:46 - Atualizado em Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017 às 10:20

69 99353-3037 COMUNICAR ERRO

Conheça brasileira que ajuda a Nasa a explorar as luas de Saturno

Rosaly Lopes, astrônoma brasileira, saiu do país aos 18 anos, mas espalha um pouco da nossa cultura pelo universo, literalmente: além de batizar crateras de Mercúrio com nomes de maestros - Tom Jobim e Villa-Lobos -, ela está na maior missão da Nasa até Saturno, a Cassini, que termina após 20 anos nesta sexta-feira (15).

A carreira de Rosaly não se resume a isso. Hoje com 60 anos, começou como funcionária da Nasa em 1991. Chegou a estudar na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas depois foi selecionada para fazer a graduação na Universidade de Londres.

"Queria ser astronauta quando criança, mas descobri muito cedo que sendo menina, brasileira, e muito míope, eu não ia conseguir. Decidi ser astrônoma, trabalhar na Nasa e ajudar no programa espacial", disse.

Desde então, trabalhou em duas grandes missões. A primeira foi a Galileu, lançada pela Nasa para estudar Júpiter, em 1989. Neste primeiro trabalho, Rosaly conta que o final foi muito similar ao que deve acontecer nesta sexta.

"É o mesmo tipo de destruição. A nave entra em um planeta gasoso e se destrói na atmosfera. Começa a se despedaçar e, depois, vamos perder o contato quando a antena não conseguir mais apontar para a Terra".

De acordo com Rosaly, a Cassini é diferente porque é "muito bem sucedida", com o envolvimento de uma equipe muito maior do que a Galileu. Ela conta que cerca de 2 mil pessoas deverão acompanhar o final da missão nos Estados Unidos.

Foco na lua Titã

A astrônoma é uma vulcanologista: estuda os vulcões existentes na Terra e no espaço. Na missão Galileu, descobriu 71 novos vulcões em Io, uma das luas de Júpiter.

"Sugiro nomes para colocarem no banco de dados de outros planetas. Comecei por Io, quando notei que nenhum planeta, nenhum satélite, era batizado com nomes da mitologia indígena brasileira. Como os vulcões de Io têm nomes de deuses e heróis, sugeri Tupã e Monã", disse.

Durante o trabalho na Cassini, participou das pesquisas na superfície de Titã, maior lua de Saturno. Conta que também analisou algumas características da lua Encélado.

"A missão Cassini tem sido extraordinária. Estou estudando a geologia de Titã, seus vulcões, ou pelo menos o que nós achamos que são vulcões, já que não são ativos. Acabamos chamando de criovulcões: no lugar de sair lava, sai gelo e água".

Ela diz que Titã tem algumas características parecidas com a Terra. Por isso, sugeriu um projeto à Nasa para buscar vida por lá. Segundo Rosaly, a resposta da agência espacial sobre a aceitação da pesquisa deve chegar até o final do ano.

"A superfície de Titã tem lagos de metano líquido, tem dunas de material orgânico, tem uma geologia muito parecida com a Terra, embora seja em muitos aspectos muito diferente".

De qualquer forma, a pesquisadora deverá trabalhar durante todo o próximo ano para analisar os dados coletados na missão Cassini.

"Há muitas coisas ainda a serem descobertas. Só em Titã, nós temos poucas ideias da composição química exata da superfície. Ainda não vimos toda a superfície com uma resolução suficiente para realmente estudar a geologia", completou.

Sobre a missão Cassini

A agência espacial americana encerra nesta sexta-feira a missão Cassini: são 20 anos desde a decolagem para pesquisar Saturno.

O combustível da sonda está esgotando e, por isso, os astrônomos decidiram um final com data marcada: a Cassini irá fazer seu último mergulho na atmosfera do planeta gasoso e se desintegrar. Desde abril, a nave fez mais de 20 inserções na atmosfera e entre os aneis. Essa última etapa é chamada de Grand Finale.


Fonte: Globo.com

Tag's: Rondoniaovivo, Brasileira, Nasa, Saturno

GOSTOU DA MATÉRIA, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS E FAMILIARES:

69 99353-3037




PUBLICIDADE




Polícia | 25/09/2017 | 19:41
Passageiro de mototaxista é preso após arrombar residência para furtar Tv e relógios

Comércio e Indústria | 25/09/2017 | 18:00
Embaixada Rubro Negra em Porto Velho

Rondônia | 25/09/2017 | 17:55
TRE: Processo Judicial Eletrônico é implantado oficialmente

Política | 25/09/2017 | 17:42
Vereador Edésio realiza ação social no bairro Nacional neste sábado, 30

Rondônia | 25/09/2017 | 17:17
Sindeprof prova cálculo equivocado e conquista revogação do quinquênio

Política | 25/09/2017 | 17:00
Márcio do Sitetuperon realiza ação social no Agenor de Carvalho

Corumbiara | 25/09/2017 | 16:39
Eleitores de Corumbiara e Novo Horizonte podem ter título eleitoral cancelado

Polícia | 25/09/2017 | 16:45
FILMADO: Peruano é preso com droga no Espaço Alternativo

Política | 25/09/2017 | 16:45
Rosângela Donadon propõe homenagem para ex-deputado João Batista de Lima

Internacional | 25/09/2017 | 16:30
'É impossível achar alguém pra casar', afirma búlgaros da Província de Pernik

Rondônia | 25/09/2017 | 16:32
Entes Públicos com precatórios em dias em 2016 são agraciados

Rondônia | 25/09/2017 | 16:26
Justiça & Cidadania Capacitação dos Agentes de Segurança Judiciária do TRT14

Rondônia | 25/09/2017 | 16:28
Justiça Federal só aceitará ida de servidores à transposição após julgamento

Presidente Médici | 25/09/2017 | 16:19
Homem é filmado agredindo mulher em frente de lanchonete

Rondônia | 25/09/2017 | 16:14
Escola do Legislativo abre mais de 60 vagas para 17 cursos

Rondônia | 25/09/2017 | 16:10
Empresários de RO participam da Expoalimentaria no Peru

Brasil | 25/09/2017 | 16:08
Governo decide manter o horário de verão

Política | 25/09/2017 | 15:51
Mulheres inauguram agroindústria de frango caipira em Candeias do Jamari

Política | 25/09/2017 | 15:44
Cristiane Lopes faz pedidos de providência para o bairro Nacional

Brasil | 25/09/2017 | 15:36
Temer revoga decreto que permitia exploração de reserva na Amazônia

Rondônia | 25/09/2017 | 15:33
Sindafisco celebra progresso no Dia do Auditor Fiscal

Brasil | 25/09/2017 | 15:27
SONHO ADIADO: Caixa financiará apenas 50% do valor do imóvel

Rondônia | 25/09/2017 | 15:14
Fortalecimento dos municípios é destaque em encontro do Profaz