69 99353-3037 | 69 3225-5866

Logo Rondoniaovivo - Notícias, Classificados e Banco de Empregos de Rondônia

Quinta-Feira, 20 de Julho de 2017


Segunda-Feira, 17 de Julho de 2017 às 17:48 - Atualizado em Terça-Feira, 18 de Julho de 2017 às 14:27

69 99353-3037 COMUNICAR ERRO

FAB realiza maior reação de defesa da fronteira aérea

 Voando baixo, bem baixo e muito lento, o pequeno avião de um só motor vindo do interior da Bolívia cruzou a fronteira aérea do Brasil quando o amanhecer ainda era apenas uma penumbra. Seguiu o curso de um rio, depois o trajeto de uma estrada secundária - e então topou com um A-29 Super Tucano, duas metralhadoras .50 nas asas, despachado do aeroporto de Dourados, em Mato Grosso do Sul, pelo Comando de Operações Aeroespaciais da Força Aérea Brasileira, em missão de interceptação.

As duas aeronaves entraram em um procedimento regido pela Lei do Abate que permite, desde 2004, derrubar a tiros os ‘ilícitos‘; aviões irregulares, não identificados, sem plano de voo, em silêncio de rádio. Nesse dia do fim de maio as coisas terminaram bem. O piloto acatou as instruções, reativou a comunicação, pousou na pista indicada pelo A-29 e apresentou os documentos, com validade vencida. O avião foi apreendido e multado. A investigação prossegue.

As manobras evasivas adotadas no deslocamento do intruso dentro do espaço brasileiro - pouca velocidade e altitude reduzida - são as mesmas seguidas pelo pessoal do tráfico de drogas para escapar dos radares da Força Aérea. ‘ O ato pode ter sido um ensaio para testar a capacidade de resposta do sistema de repressão ao tráfego ilegal‘, sustenta um oficial do esquadrão envolvido na ação, que não pode ser identificado.

Os militares dos times de Campo Grande (MS), Porto Velho (RO) e Boa Vista (RR), os mais diretamente ligados ao programa de combate aos crimes transfronteiriços, têm recebido ameaças.

Há pouco mais de três meses, desde 24 de março, essa rotina se repete ao menos quatro vezes a cada dia, em uma larga faixa de 4.700 km, a extensão combinada da linha de fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia, rota da entrada de 70% da cocaína transportada por via aérea para ser distribuída em São Paulo e Rio. É ali que a Força Aérea está realizando a Operação Ostium (portão, em latim), a maior da aviação militar do País no trabalho de coibir voos ilegais. É um programa ambicioso. Ao longo de aproximadamente 13 anos, a FAB executou pouco mais de 2 mil interceptações sob a Lei do Abate. Nas primeiras 15 semanas da Ostium, entre março e julho, o número dessas missões já se aproximava de 150.

O processo pode ser duro. No dia 25 de junho um Super Tucano interceptou o bimotor PT-IIJ em Goiás, na região de Aragarças. O invasor recebeu a ordem para aterrissar no aeroporto local. Todavia, no momento do pouso, arremeteu, tentando escapar do caça. Considerado como hostil, foi perseguido. Foram feitos disparos de advertência - última etapa antes do tiro de derrubada. O piloto desceu em seguida, mas não na pista: arremessou o avião contra um pasto, na cidade de Jussara (GO), desembarcou e fugiu. Mais tarde foi preso pela polícia estadual. A bordo havia 600 kg de cocaína. De acordo com o Comando da Aeronáutica, a Operação Ostium ‘permitiu uma redução de 80% no tráfego aéreo desconhecido na área das duas divisas internacionais‘.

A iniciativa será levada a outros pontos dos 16.886 km de fronteiras do País sem aviso prévio - a intenção é pegar de surpresa os transgressores. Um ponto prioritário é o longo corredor de 1.644 km que separa o território brasileiro do colombiano. De acordo com o DEA, a agência dos Estados Unidos de contenção do tráfico internacional, 60% da coca produzida na Colômbia chega à Europa e a Ásia por meio de conexões com organizações criminosas no eixo Rio-São Paulo. Há também certa preocupação com o Peru e o Suriname.

Meios

Bem antes da interceptação, o bimotor já havia sido visualizado pelos operadores do radar móvel TPS-B34, capaz de rastrear vários alvos simultaneamente em um raio de 475 km e deslocado para dar suporte à Ostium. Talvez tenha entrado também nas telas do Centro Integrado de Defesa e Controle do Tráfego, o Cindacta 2, de Curitiba, e nos consoles a bordo do grande jato E-99 de alerta avançado, avião-radar do Esquadrão Guardião. A operação mobilizou meios nunca antes empregados conjuntamente.

Os drones RQ-450, aviões sem piloto, do Esquadrão Horus, podem permanecer horas no ar, rastreando as rotas e os pontos de apoio das aeronaves irregulares. Um pequeno avião pode voar muito devagar e rente ao solo, dificultando a intervenção dos Super Tucano. Nesse caso é acionado o helicóptero de ataque AH-2 Sabre, com canhão de 23 mm, para executar a interdição. Os esquadrões atuam a partir de suas bases regulares. Grupos especiais foram deslocados para Cascavel (PR), Foz do Iguaçu (PR) e Dourados (MS). Os radares móveis estão em Chapecó (SC) e Corumbá (MS).

A bordo do principal recurso da Ostium, o A-29 - um avião de US$ 5,5 milhões na versão da FAB, comprada há 12 anos - estará um oficial sob as ordens de um tenente-coronel. Com idade média de 41 anos, ele chefia um grupo de 145 militares. Os aviadores são jovens, na faixa dos 23 a 27 anos. Entre eles, mulheres, pilotos de caça.

Custo

Para chegar ao Super Tucano, os oficiais passam pela Academia da Força Aérea, em Pirassununga (SP), e depois pelos centros de formação especializada em Natal e Fortaleza. Nos esquadrões operacionais, são mais três a quatro anos treinando ataque ao solo, combate aéreo, o uso do capacete com sistema de visão noturna, o captador de imagens térmicas e a liderança de grupos de combate. Até o topo da formação, no comando de supersônicos como o F-5M ou o bombardeiro leve A1-M AMX, o preparo de cada aviador terá custado até US$ 2,3 milhões. 


Fonte: FolhaMax

Tag's: Rondoniaovivo, rondonia, porto velho, fab, aviao, ameaça, cartel, drogas, noticia

GOSTOU DA MATÉRIA, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS E FAMILIARES:

69 99353-3037




PUBLICIDADE





Polícia | 19:39
FUGA ANIMAL - Bezerro escapa de caminhão e causa acidente no viaduto da BR-364

Polícia | 18:57
SEQUESTRO - Apenado foge de presídio e rende casal no Espaço Alternativo

Rondônia | 17:01
Fecomércio-RO recebe homenagem da Caravana dos Jornalistas

Cultura | 16:46
‘O quadro de todos juntos’ será apresentado nesta sexta no Palco Giratório

Vilhena | 16:37
3ª edição do Festival de Música Portal da Amazônia ocorrerá neste sábado

Vilhena | 16:35
7ª edição do Rodeio do Laço Comprido será neste fim de semana

Política | 16:11
Senador Raupp apresenta projeto que libera o uso do Ozônio na medicina

Eventos em Pauta | 16:04
Pegue a mochila, tem Festival Folclórico em Nazaré nesta sexta e sábado

Pimenta Bueno | 15:56
Cleiton Roque agradece governo por Operação Cidade Limpa

Ji- Paraná | 15:17
Asfaltamento do Anel Viário será concluído este semestre

Por Aí - Sandra Santos | 15:12
Encontrado morto Chester Bennington, vocalista do Linkin Park

Por Aí - Sandra Santos | 15:08
Em sua festa de casamento, mãe deixa lugar reservado para seu filho morto e tem uma grande surpresa.

Polícia | 15:04
Fim da manifestação dos índios Kaxarari em Extrema

Capital | 14:56
Rampas flutuantes devem garantir mais segurança no Porto da capital

Cerejeiras | 14:52
Deputado Edson Martins participa da entrega de caminhonete

Política | 14:48
Léo Moraes elabora projeto que torna Associação Voluntária utilidade pública

Polícia | 14:46
PF e CGU deflagram nova operação contra fraude em contratos

Comércio e Indústria | 14:43
Madeira a preços exclusivos, confira

Educação | 14:29
Grupo de gestores do mercado nacional busca crescimento profissional com MBA da FGV

Política | 14:19
Nota de esclarecimento da Deputada Rosangela Donadon

Política | 14:17
Garçon apoia ações da Funasa para beneficiar Candeias e outros municípios

Rondônia | 14:07
TCE deflagra mais de 160 auditorias para apurar contas em municípios de RO

Política | 14:04
Justiça condena ex-deputado Flávio Lemos a prisão