BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CABARÉ LOVE: Empresário rondoniense é preso em bar, se revolta com decreto e causa confusão

Ele ofendeu os policiais com palavras de baixo calão, sendo necessário o uso de algemas de spray de pimenta para contê-lo

FOLHA DO SUL ONLINE

25 de Janeiro de 2021 às 10:19

Atualizada em : 25 de Janeiro de 2021 às 10:27

Foto: Divulgação

 

Um empresário de Vilhena e mais duas pessoas foram conduzidos para a delegacia na madrugada desta segunda-feira, 25, após se envolverem em confusão no “Bar Cabaré Love”, localizado na Avenida 1705, em frente o Tiro de Guerra.

 
Segundo informações levantadas pela reportagem do Folha do Sul Online, por serem amigos do dono do cabaré, o empresário e um colega tiveram a entrada permitida e passaram a ingerir bebidas alcoólicas no local.
 
Porém, já na madrugada, o empresário afirmou que só pagaria a conta quando fosse emitida sua nota fiscal, momento em que o dono do bar passou a discutir com o cliente, que chamou a Polícia Militar, sendo enviada ao local a guarnição da base Cristo Rei.
 
Durante a confusão, o amigo do empresário, que dormia em um dos quartos com uma profissional do sexo, acordou e foi pagar a referida conta, mas percebeu que R$ 2.200,00 que estavam em sua carteira tinham desaparecido.
 
Devido os envolvidos estarem no local após o toque de recolher, ingerindo bebidas alcoólicas e sem máscaras, atitudes proibidas pelo decreto de enfrentamento à Covid-19, estes foram informados que teriam que ir para delegacia, porém, o empresário que havia acionado os militares se revoltou, afirmando que não seria preso por causa de uma “idiotice de decreto”  e passou a ofender os policiais com palavras de baixo calão, sendo necessário o uso de algemas de spray de pimenta para contê-lo.
 
Ainda revoltado, o empresário afirmou que iria processar os militares até que estes “perdessem suas fardas”, mas mesmo assim, os três envolvidos receberam voz de prisão e foram apresentados na Unidade Integrada de Segurança Pública (UNISP) em condições físicas normais para prestarem mais esclarecimentos ao delegado de plantão.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS