Confúcio quer espirito olímpico em Rondônia e revelar novos talentos

Confúcio quer espirito olímpico em Rondônia e revelar novos talentos

Da Redação

02 de Maio de 2016 às 09:04

Foto: Divulgação

Quantos campos de futebol, gramados ou não? Campos de areia? Espaços para práticas esportivas? Centenas. Com certeza. E podem ver que maioria deles, tem horários ociosos, durante a semana, finais de semana, feriados.  E tudo isto pode ser usado, com imensa criatividade, para que jovens em suas comunidades, possam ser chamados para dentro do mundo admirável do esporte. Porque o esporte une. O esporte disciplina o cidadão, impõe limites, horários, regras. Tem o apito que diz, “isto pode ou não pode”. O atleta, por natureza, é muito mais disciplinado, melhor desempenho escolar, mais socializado. Porque o atleta tem que passar a bola pra frente. Outro dia visitei uma escola e vi uma quadra novinha, com o mato subindo nas paredes e nem sinal de uso. A Escola Padrão também já a visitei, é uma praça olímpica quase completa, maravilhosa, pena que sem uso. E por aí vai.

Com este exemplo, eu chamo atenção do Estado e Município para se unirem e de agora em diante, aproveitarem melhor os espaços esportivos da cidade, promovendo a ocupação deles e mais tarde, promovendo campeonatos das diversas idades e integrando governos, comunidades e parceiros privados. Creio que este gesto de grandeza, será o maior programa da cidade, no sentido de se comemorar as Olimpíadas no país. O de transformar Porto Velho e as demais cidades rondonienses com este espírito olímpico e com esta onda, mais tarde, formar talentos esportivos diversos em nosso Estado.

Começa assim, dando oportunidades, interessando pelo jovem, porque se você não interessar por ele, quem irá se interessar?

Eu tenho visto, sempre, órgãos públicos, reclamando da falta de dinheiro e sendo que falta mesmo é arrancada, vontade de fazer as coisas, de bater às portas, as nossas próprias portas e dos outros, para termos o apoio necessário para uma política de juventude efetiva e prática.

Direito ao esquecimento