MARCELA BONFIM: Fotógrafa registra negros de Rondônia com projeto 'Amazônia da cor da minha pele'

Iniciativa vai preservar e promover história da identidade e a população negra na Amazônia

MARCELA BONFIM: Fotógrafa registra negros de Rondônia com projeto 'Amazônia da cor da minha pele'

Foto: Marcela Bonfim/Amazônia da Cor da Minha Pele

O reconhecimento da identidade negra na Amazônia serviu como ponto de partida para a fotógrafa Marcela Bonfim conceber um projeto que coloca em destaque as diversas faces da negritude na região, com especial foco no estado de Rondônia.

 

Sob o título "Reconhecendo a Amazônia Negra: povos, costumes e influências negras nas florestas", a iniciativa busca documentar e preservar a história de ribeirinhos, quilombolas, negros e indígenas, promovendo a memória da população negra na Amazônia.

 

Marcela destaca a importância da fotografia como "parte integrante do movimento negro, enfatizando a necessidade de reconhecimento para preservar memórias e promover a identificação".

 

Seu projeto, iniciado ao registrar imagens de pessoas próximas, evoluiu para uma poderosa ferramenta de resistência e ação.

 

Foto: Marcela Bonfim

 

Perseverança

 

A chegada de Marcela a Rondônia revelou uma Amazônia rica em presença negra, desafiando suas expectativas. Esse encontro a conduziu a lugares inesperados, e sua experiência transformou-se em uma busca por redefinir a história do negro no Brasil, destacando contribuições e influências muitas vezes negligenciadas.

 

Como mulher negra ocupando o campo da fotografia, Marcela expressa sua satisfação ao contribuir para a transformação desse domínio, historicamente dominado pela 'branquitude'. Ela ressalta que, mais do que capturar momentos, as fotografias deste projeto visam criar um movimento de memória, construindo a história e a identidade negra.

 

Foto: Marcela Bonfim

 

Identidade

 

Marcela enfatiza a importância de continuar a divulgar essas histórias como meio de revelar como o negro contribuiu e contribui para o Brasil, assim como o país poderá ser quando reconhecer e valorizar suas raízes africanas.

 

O projeto, para ela, representa uma forma de resistência e ação política, visando promover o autorreconhecimento das pessoas e a percepção da Amazônia retratada na galeria de fotos.

 

VEJA GALERIA COMPLETA CLICANDO AQUI.

Direito ao esquecimento
Como você classifica o mandato do prefeito Moisés Cavalheiro em Itapuã do Oeste?
Como resolver o problema dos animais de rua?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS