15 de Outubro dia do Professor – 'O que seria do mundo sem o Professor?'

Mais de 01 ano e meio de Pandemia da Covid 19, mas com o declínio da contaminação, o avanço das vacinas, da diminuição dos óbitos, bem como também das hospitalizações, a maioria dos estados retornou as atividades presenciais, ainda oferecendo o ensino hibrido e remoto. 
 
A volta às aulas para muitos é sinônimo de alívio e alegria, além, também do combate á depressão e a evasão escolar. Logicamente esse retorno deverá seguir todos os protocolos do Ministério da Saúde e das secretárias estaduais e municipais.    
E o Professor? 
 
O Professor teve que si reinventar, estudar para ensinar, estudar novos métodos, além de  conhecer as ferramentas “on line” para a continuação das aulas, evitando assim um prejuízo maior para os estudantes e seus familiares.
 
Com o retorno das aulas presenciais, escutamos muitos comentar “agora sim os professores vão trabalhar de verdade”. No entanto,“peraí”, os professores transformaram suas casas, apartamentos em sala de aula, aprenderam as ferramentas disponíveis, buscaram metodologias. 
 
Conseguiram vencer obstáculos, a internet que não suporta (caí), muitos tiveram que arcar para ter acesso aos planos de internet, além do  barulho de todos os tipos, da participação especial do (s) filho(s), de parentes e vizinhos e até dos animais domésticos.
 
Apesar da nossa formação acadêmica, não estávamos preparados para essa nova modalidade de ensino. Os professores juntamente com os Trabalhadores da saúde, merecem todo nosso respeito, admiração e valorização.  
 
Nossa profissão deveria ser a mais bem remunerada, reconhecida, valorizada; com um sistema de aposentadoria mais justa, afinal o que seria a sociedade sem os profissionais da Educação?
 
 
Nesse dia comemorativo, muitos políticos fazem aqueles velhos discursos sobre a importância dos professores, e tal..., mas sem propostas, sem projetos efetivos que poderiam contribuir para que os docentes exerçam com mais segurança a profissão. Muitos não lembram que graças aos professores estão em um mandato eletivo ou estão no mundo político.   
 
Breve Histórico  
 
O dia mundial do Professor é celebrado em 05 de outubro pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) órgão da ONU, comemorado  desde 1994, para celebrar a aprovação, em 05 de outubro de 1966, a Recomendação juntamente com a OIT (Organização Internacional do Trabalho) o Estatuto dos Professores.
 
No Brasil
 
No dia 15 de Outubro, pois em 1827, o Imperador Dom Pedro I assinou a primeira lei sobre o ensino primário, e é conhecida comumente como Lei Geral relativa ao Ensino Elementar, sendo considerado um marco no Brasil, por ter sido a primeira a regulamentar questões relacionadas ao sistema educacional brasileiro.
 
Para a discente Manuela Stanguerlin:
 
 
“Para mim, não existe maior honra do que ser professor. Apesar dos salários pouco valorizados  falta de apoio, os professores sempre estão ali, lutando pela educação e assumindo o peso de ajudar a construir um futuro melhor. Ademais, ser professor vai além de ensinar, ser professor é ser inspiração e exemplo, ainda mais em tempos pandêmicos, como o que andamos vivendo. Ser professor em plena quarentena é arranjar energia em meio de tanta exaustão, é dar aula para dezenas de câmeras fechadas, e procurar diversos meios para poder continuar ensinando. E ser aluno, é o melhor estágio da vida, aonde dentro da nossa ignorância sempre teremos uma luz para nos guiar, alguém para nos encaminhar. Ser aluno é poder observar e absorver cada lição de dentro e fora de sala, e poder reconhecer, que não há melhor profissão do que aquele que nos ilumina, que não existe maior honra do que ser professor”.
 
 
Parece que o Dia do Professor foi comemorado pela primeira vez em 15 de outubro de 1933, com uma missa e sessão cívica no Instituto de Educação do Rio de Janeiro. A iniciativa partiu da Associação dos Professores Católicos do Distrito Federal - Rio de Janeiro e ficou conhecido como Dia do Primeiro Mestre. 
 
 
Seu objetivo era dar às pessoas ocasião para demonstrarem a gratidão ao seu primeiro professor. A primeira comemoração de um dia inteiramente dedicado ao professor ocorreu na cidade de São Paulo, no Ginásio Caetano de Campos, por iniciativa de alguns professores, em 15 de outubro de 1947. A celebração foi um sucesso, espalhou-se pela cidade e nos anos seguintes pelo país, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963.
 
 
O discente do Curso Técnico em Informática Amizael Ygor Oliveira Cavalcante compartilha “Desde pequeno nós temos uma pessoa ao nosso lado, nos ensinando, nos ajudando e nos acompanhando até nos formar. Os professores são peças fundamentais na vida de qualquer aluno, são eles que nos mostra coisas que nós não conhecemos e passamos aprender por conta deles.
 
 
Eles são fundamentais para nossa formação intelectual e profissional, muita vezes são eles que nos ajuda a escolher, como por exemplo curso da  faculdade/profissão, para o nosso futuro. 
 
Os professores se superam cada vez mais nos mostrando suas forças, mesmo em tempos difíceis, nessa pandemia os professores tiveram que se reinventar para dar o melhor ensinamento possível remotamente e mesmo com essa dificuldade, eles não desistiram e continuaram dando o seu melhor para nós, alunos. 
 
Para nós, alunos, não foi nada fácil também, mas conforme foi passando o tempo, fomos nos acostumando, foi muito difícil mas nós conseguimos aprender o máximo possível, apesar da dificuldade e muito desse aprendizado foi graças aos professores. 
Obrigado Professores por tudo”.
 
 
Feriado Escolar
 
 
DECRETO nº 52.682, de 14 de outubro de 1963 - Declara feriado escolar o dia do professor.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL, usando das atribuições que lhe confere o item I do artigo 87 da Constituição Federal, Decreta:
 
Art. 1º O dia 15 de outubro, dedicado ao Professor fica declarado feriado escolar.
 
Art. 2º O Ministro da Educação e Cultura, através de seus órgãos competentes, promoverá anualmente concursos alusivos à data e à pessoa do professor.
 
Brasília, 14 de outubro de 1963; 142º da Independência do Brasil; 75º da República.
 
João Goulart.
 
 
O Professor Mayone Lima compartilha:
 
“Em meus 18 anos de docência sempre me deparei com a pergunta: Por que lecionar? Ela retorna em reflexões pessoais ou por perguntas da própria sociedade. A resposta dessa pergunta, em verdade, são várias respostas. O ambiente criativo que a sala de aula propicia é uma dessas respostas, uma aula nunca é igual a outra, a relação professor+ conteúdo + aluno sempre cria novos resultados. A troca de vivências em sala é algo sempre garantido em uma sala de aula, oferta contínua de experiências, alguém sempre apresenta um olhar inovador para algo cotidiano. Outra resposta é a própria liberdade de buscar novas formas de exercer minha ação educacional. Como renovar a forma de apresentar um conteúdo, uma nova mídia e outras possibilidades de renovação do ato de lecionar. E, entendo, mesmo que o momento histórico não valoriza isso, que a formação de um povo passa por sua educação, para o mal ou para o bem. Não apenas a educação como sala de aula, mas também como troca de conhecimentos na sociedade, a sala está na sociedade. Está?”     
           
 
Professor Ruzel Costa Colégio e Curso Sapiens e IFRO – Calama - Porto Velho – RO
Direito ao esquecimento

Qual senador(a) você acha mais atuante?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública. Vote quantas vezes quiser!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS