VISADAS: Conheça quais são as motocicletas mais roubadas no Brasil

De acordo com a base de dados da Suhai Seguradora, as motos mais visadas são aquelas de baixa cilindrada

VISADAS: Conheça quais são as motocicletas mais roubadas no Brasil

Foto: Ilustrativa

Recentemente, a Mobiauto fez uma reportagem com dicas de como evitar imprevistos relacionados a furtos ouassaltos durante a condução de motocicletas. É natural que o índice de furtos e assaltos se intensifiquem no fim do ano, principalmente por conta do maior relaxamento dos motociclistas durante o período das festas.
 
Segundo Beto Rubim, diretor executivo de operações da Suhai Seguradora, atualmente, há quadrilhas especializadas em crimes de oportunidade, ou seja, ladrões que aguardam momentos de feriados ou festas, para atuarem com maior facilidade.
 
Conforme dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), em 2023, as ocorrências de furtos e roubos de motos tiveram um aumento de 32,7%: saltou de 19.673 casos em 2022 para 26.107 em 2023.
 
Segundo Fernando Correia, coordenador de operações da Ituran Brasil, dados da secretaria mostram que a proporção entre roubo e furto para motos de 500 cm³, em 2023, está em 82,45% em roubo para 17,55% de furto. Não muito diferente da apresentada em 2022.
 
De acordo com a base de dados da Suhai Seguradora, as motos mais visadas são aquelas de baixa cilindrada, como, Honda GC, Yamaha Fazer, Yamaha Lander e Honda Twister, principalmente devido ao volume em circulação e utilização para fins comerciais, além de serem alvo também por conta do comércio paralelo e ilegal de suas peças e partes.
 
Quando o assunto envolve as motos de alta cilindrada, é importante reforçar que há um movimento chamado "Roubo Ostentação". Dentro da escolha preferida para a ação ou até mesmo para revenda estão modelos como: Honda Hornet, BMW GS, BMW F800 e Yamaha XJ6N.
 
Veja o ranking das motos mais roubadas em 2023:
 
1º Honda CG 160 –Moto teve um aumento de 41,6% no índice de sinistros. O furto predomina com 73,34% das ocorrências. Os dias da semana em alta são as terças, quartas e quintas feiras.
2º Yamaha Fazer 250 – Motocicleta registrou crescimento de 25,6%. No caso da Yamaha, furto e roubo estão equilibrados.
3º Honda CG 150 - Aumento de 13,8%. Para o modelo, a proporção de furto é de 76,27%. Modelos com mais de 10 anos são mais visados e representaram 60% do volume.
4º Honda PCX 150 - Aumento de 2%. O furto está em 72,25% para 27,75% de roubo. Os modelos entre 5 e 10 anos representam pouco mais que 54% das ocorrências.
5º Honda CBX 250 Twister - Aumento de 7,6%. A proporção entre roubo e furto é pouco mais equilibrada, assim como na sua concorrente direta Yamaha Fazer 250.
6º Honda XRE 300 - Aumento de 7,6%.
7º Honda CG 125 - Aumento de 22,1%.
8º Yamaha XTZ 250 Lander - Aumento de 113,4%. Desde maio as ocorrências para esse modelo vêm em alta. O roubo está em 57,01% para 42,99% de furto.
9º Honda NXR 160 Bros - Aumento de 46,6%.
10º Yamaha MT03 - Aumento de 48%. Os dias da semana em destaque estão entre Quarta e Domingo. A proporção de roubo está em 63,26%.
Direito ao esquecimento
Como você classifica a gestão de Cleiton Cheregatto em Novo Horizonte do Oeste?
Quem é mais culpado pelas enchentes em Porto Velho?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS