DE RONDÔNIA: Artista visual Silva participa de Festival Internacional do Grafitti, em Lima, no Peru

“Desenvolvo artes principalmente em estilo realista, mas também crio cartoons e caligrafias”.

DE RONDÔNIA: Artista visual Silva participa de Festival Internacional do Grafitti, em Lima, no Peru

Foto: Divulgação

O evento iniciou nesta quinta-feira,11, e encerra dia 24 deste mês, em Lima, no Peru, conta com a participação artista visual, grafiteiro Silva, de Vilhena, Rondônia. Os participantes inscritos foram selecionados por curadores. Silva foi selecionado junto com outros artistas brasileiros, assim como de diversos países da América latina e Europa. O tema deste ano é “O papel da gestão artística na América Latina”.

 

“Meu intuito nesse evento e passar a minha visão de brasilidade, uma visão alternativa a partir da minha vivência com skate, graffiti, música e arte”, declarou o artista. Ele afirma que anda de skate desde os anos 2000 e trabalha com graffiti desde 2012.

 

 

“Desenvolvo artes principalmente em estilo realista, mas também crio cartoons e caligrafias. Geralmente procuro misturar esses estilos para criação de composições únicas”, pontuou o artista, que é também bacharel em Artes Visuais pela UFPel desde 2018.

 

Silva começou na área das artes pintando retratos por possuir, segundo ele, maior familiaridade com esse estilo de desenho. Ele afirma que o seu desenvolvimento técnico com spray foi dado aos “saltos”, se destacando rapidamente na cena do graffiti local e regional, sendo convidado para os primeiros eventos já em 2013.

 

 

“Daí em diante, foram constantes as participações em festivais, murais e mutirões de graffiti e outros eventos, que são muito importantes para os artistas se aprimorarem, experimentarem e entregarem novos trabalhos, propostas e pesquisas, mas também para rever amigos, trocar ideias, desenvolver projetos, fomento artístico e network”, diz.


De acordo como grafiteiro, ao longo de 11 anos de trabalho e pesquisa, o gênero realista se fortaleceu e se misturou a novas referências a qual passou a se interessar, especialmente o estilo cartoon e caligraffiti.

 

 

Em 2017 o artista iniciou sua jornada dentro do universo da tattoo, passando a pesquisar e adotar influência de estilos tradicionais da cultura da tattoo, como o oriental e o neotradicional, agregando isso também aos seus graffitis.


Linguagem autoral


Em busca de uma linguagem única e autoral, a versatilidade acabou se tornando sua maior característica de destaque, por conseguir trabalhar com diferentes formas: realismo, cartoon, caligraffitis, referências da tattoo e a possibilidade de combinação entre todos eles.

 

Instagram do Festival

Instagram do artista


 

Direito ao esquecimento
Como você classifica a gestão de Cleiton Cheregatto em Novo Horizonte do Oeste?
Quem é mais culpado pelas enchentes em Porto Velho?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS