NA ITÁLIA: Artista plástica rondoniense Edina Costa é premiada pela segunda vez no exterior

Ela será agraciada com o Prêmio Internacional Phoenix para as Artes, na Itália

NA ITÁLIA: Artista plástica rondoniense Edina Costa é premiada pela segunda vez no exterior

Foto: Divulgação

A artista plástica Edina Costa leva o nome de Rondônia mais uma vez ao exterior. Ela receberá o Prêmio Internacional Phoenix para as Artes, em 12 de junho deste ano, na Scuola Grande de San Teodoro, em Veneza, na Itália. Nesta mesma data, ocorrerá também a Bienal de Veneza, que reunirá colecionadores, jornalistas, políticos e amantes da arte de todo o mundo.

 

Em 2023, Edina Costa foi agraciada também com o prêmio "Top of Mind International 2023", em Londres/Inglaterra, tido como um dos maiores eventos de premiação da Europa.

 

“Com esforço e muita dedicação eu tenho conquistado reconhecimento tanto dentro quanto fora do estado e do Brasil”, afirmou, emocionada, a artista pástica ao receber a premiação na Inglaterra.

 

Mensagem enviada pela organização do evento em Veneza informando a Edina sobre o prêmio

 

Edina foi a segunda artista visual mais votada em uma disputa que contou com a participação de concorrentes de todo o mundo. A votação ocorreu virtualmente. Ela disputou na categoria "Artistas – Destaques Internacionais".

 

Criado em 2015, o Top of Mind Internacional é uma iniciativa que busca reconhecer o trabalho e os esforços de brasileiros que se destacam no cenário internacional.

 

Temática amazônica

 

Em seu trabalho artístico, ela evidencia as cores fortes, marcantes, vibrantes, com a temática amazônica. O conceito da sua arte é sobre a vida e as belezas da Amazônia, o realismo. A artista plástica esclarece que retrata aquilo que vê e o que poderia ser expressões e olhares do índio, da fauna e da flora. “Acredito que consigo despertar através das minhas obras a consciência de que devemos preservar a natureza”.

 

Ela relata que cada obra leva em média de 15 a 20 dias para ficarem prontas. “Centralizo o ponto de luz, sombra bem marcantes e cores intensas. Utilizo pinceis de cerdas macias, uso a técnica óleo sobre tela. Cada obras leva em média de 15 a 20 dias para ficarem prontas”, explica.

 

Processo criativo

 

Edina ressalta que o seu processo criativo surge através de imagens do cotidiano ou de fotografias que recebe de amigos fotógrafos que adoram ver suas fotos retratadas por ela. “Meus amigos dizem que consigo retratar mais do que os olhos podem ver, que uno os olhos, a imaginação, o coração e a arte. Faço o croqui, insiro elementos importantes, os quais não estão na imagem original que acredito dar mais vida à obra, é uma viagem que faço dentro de mim”, diz.

 

A artista visual pontua ainda que foca sempre no realismo, gosta de pintar pequenos detalhes, pois acredita que isso dê mais vida a obra. “Centralizo o ponto de luz, sombra bem marcantes e cores intensas. Utilizo pinceis de cerdas macias, uso a técnica óleo sobre tela. Cada obra leva em média de 15 a 20 dias para ficarem prontas”.

 

Nova-Mamoré

 

Ela é de Guajará-Mirim, município que faz fronteira com a Bolívia, mas desde a infância vive em Nova-Mamoré. Autodidata, Edina destaca que despertou para essa área em 1996, quando assistiu pela primeira vez o programa “Note e Anote” apresentado pela Ana Maria Braga, onde diariamente a apresentadora dava dicas de como produzir peças artesanais com materiais recicláveis. “Eu anotava tudo e depois tentava reproduzi-los, dentre eles cesta de jornal, bonecos etc, mas depois dei uma parada nessa atividade”.

 

Porém, o retorno se deu em 2008, quando surgiu o desejo defazer peças artesanais. “Então comecei a bordar tecidos - pintava guardanapos e fraldas”.

 

Como tudo começou – um sonho

 

O primeiro passo nas artes plásticas surgiu a partir de um sonho. “Em 2010 tive um sonho, no qual estava em um museu onde haviam vários quadros na parede um detalhe chamou-me atenção: as imagens retratadas nas obras se movimentavam. Acordei com aquilo na cabeça e pensava comigo mesma: como pode? Impossivel, surreal, aquele sonho despertou em mim o desejo de pintar quadros, mas eu não sabia qual material utilizar nem onde consegui-los. Foi então que tive a ideia de retirar os fundos das minhas gavetas e pintar com tinta de tecido, depois invernizava e logo em seguida pendurava na parede, aquilo me encantava eu ficava admirando, ainda sem acreditar que eu tinha feito aquela obra.

 

 O interesse dos amigos pelo seu trabalho, fez com que começasse a pesquisar quais materiais necessários para pintura em tela, “porém não encontrei produtos disponíveis na minha cidade, então pedi para um amigo comprar tintas óleos e as telas na capital do Estado. Começei a pintar e vender, algum tempo depois surgiu o primeiro convite para uma exposição das minhas obras”, relembra.

 

Exposições

 

- Belezas de Rondônia, 2017, na casa de cultura Ivan Marrocos, Porto Velho, Rondônia.

- Rompendo fronteiras, 2017, Expoari (exposição agropecuária de Ariquemes) Rondônia.

- Arte e Cultura de Rondônia, 2019, Espaço cultural Sen. Ivandro Cunha Lima, Senado Federal, Brasília.

 

 Residências

 

Museu nacional da república em Brasília.

 

 Premiações

 

A obra “Doutores sem fronteiras” foi premiada na categoria artista profissional, na quarta edição do festival de cultura do Cremero em 2018.

 

Redes sociais: Instagram (@edinacostaart); Facebook (https://www.facebook.com/ednasalescosta)

Direito ao esquecimento
Como você classifica a gestão de Aldo Júlio em Rolim de Moura?
Qual pré-candidato à Prefeitura deAriquemes tem sua preferência?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS