BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

AUDIÊNCIA PÚBLICA: Vereadora Cristiane Lopes participa de discussão sobre o Plano Diretor Municipal

Desde 2018, que a vereadora vem participando de diversas Audiências Públicas e outros debates acerca deste tema e ressalta a importância da participação de toda a comunidade, pois é um tema que diz respeito a todos

ASSESSORIA

04 de Dezembro de 2020 às 10:09

Foto: Divulgação

A vereadora Cristiane Lopes (Progressistas), participou, de Audiência Pública, realizada quarta- feira (02/12) de forma híbrida, com a mesa diretora no plenário da Casa Municipal de Leis, vereadores participando de forma on-line e representantes da Sociedade Civil Organizada, que discutiram acerca do Projeto de Lei 1.139/2020 que versa sobre o Plano Diretor do Município de Porto Velho.
 
“O Plano Diretor serve para orientar o desenvolvimento e ordenamento da expansão urbana do município. Ele responde questões de como fazer com que a cidade se desenvolva de forma organizada, além de definir onde as empresas podem se instalar, a localização do comércio e até a altura dos prédios”, afirma Cristiane.
 
Desde 2018, que a vereadora vem participando de diversas Audiências Públicas e outros debates acerca deste tema e ressalta a importância da participação de toda a comunidade, pois é um tema que diz respeito a todos. “É de suma importância que na audiência pública se façam presentes moradores dos bairros, representantes de associações, entidades civis e toda população em geral, apresentando as sugestões e ideias de cada local e opinando para que consigamos recolher as vontades das comunidades, no importante processo democrático e transparente de instrumentalização da Política Urbana e Habitacional no nosso município e garantir a igualdade e sustentabilidade na cidade, proporcionando melhores condições de vida a todos”.
 
Cristiane Lopes também discorreu sobre a sua preocupação com relação a aplicação da Lei depois de aprovada. "A minha maior preocupação, como cidadã, como filha desta terra e como representante da população, não é apenas com a construção e aprovação desta lei. Eu acredito que o nosso papel fundamental é com relação a fiscalização da aplicação desta Lei, junto com o Conselho das Cidades, o Ministério Público, se for preciso. Esta é apenas uma etapa. Precisamos sempre estar discutindo e cobrando que tudo isso seja colocado em prática", finalizou.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS