COMBATE: Deputado Anderson cobra eficiência do Serviço de Inteligência da Sejus

O parlamentar vai convidar a equipe do Serviço de Inteligência da Sejus na Comissão de Segurança Pública para debater sobre o trabalho do N.I assim que retornar os trabalhos no período legislativo

COMBATE: Deputado Anderson cobra eficiência do Serviço de Inteligência da Sejus

Foto: Divulgação

A fuga de dois apenados de altíssima periculosidade no Instituto de Médico Legal – IML, na última sexta-feira (14), fez o deputado estadual Anderson Pereira (PROS), cobrar mais eficiência do Serviço de Inteligência da Secretaria de Justiça – Sejus, quanto à investigação de apenados, que estariam planejando matar policiais penais em Porto Velho.
 
Fernando F. S., e Maicon F. S. tinham sido presos junto com mais quatro pessoas flagradas com uma pistola calibre .40 e mais de 100 munições na noite de quinta-feira (13) na Rua Vasco da Gama no bairro Três Marias. Os criminosos tinham fugido do presídio recentemente e estavam planejando matar um policial penal na zona Leste, quando foram interceptados por equipes da Polícia Militar, que efetuaram a prisão da dupla.
 
A situação chamou a atenção do deputado Anderson quanto a eficiência do serviço de inteligência da Sejus, que até o momento não mostrou nenhum resultado. “Temos um N.I (Núcleo de Inteligência) que não funciona, não comunica as polícias, não investiga, era pra estar nessa investigação e não estava, e isso tem levantado um questionamento sobre sua eficiência. As facções estão planejando a morte de policiais penais, e se depender do serviço de inteligência nossos irmãos de fardas vão correr risco de morte, pois até o momento o N.I não mostrou para o que veio”, destacou Anderson.
 
Inteligência é produção de conhecimento para auxiliar a decisão. Já a Investigação é levantamento de indícios e provas que levem ao esclarecimento de um fato delituoso. Como se pode ver, a Inteligência visa antecipar-se ao fato, agindo sobre elementos que possam conter o futuro. Já a Investigação surge após o fato, agindo sobre elementos que possam dizer o passado.
 
“É preciso que tenhamos um serviço de inteligência que de fato funcione, que se antecipe ao crime organizado para evitarmos tragédias e represálias por parte de bandidos contra policiais penais. É melhor se antecipar com inteligência para evitar que seja preciso investigar caso aconteça algo pior”, frisou Anderson Pereira.
 
O parlamentar vai convidar a equipe do Serviço de Inteligência da Sejus na Comissão de Segurança Pública para debater sobre o trabalho do N.I assim que retornar os trabalhos no período legislativo.
Direito ao esquecimento

O Rondoniaovivo quer saber: quando você vai assistir televisão, qual sua preferência?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

M D Fernandes

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS