EM GUAJARÁ-MIRIM: Prefeita afastada vira alvo de cassação, mas ameaça vereadores por Instagram

Raissa Paes disse que se “hablar”, política local “nunca mais será a mesma”

EM GUAJARÁ-MIRIM: Prefeita afastada vira alvo de cassação, mas ameaça vereadores por Instagram

Foto: Reprodução de tela

A prefeita afastada de Guajará-Mirim, e agora ré em um processo de cassação aberto pela Câmara de Vereadores, Raissa Paes (MDB), resolveu ameaçar os parlamentares por meio de diversas postagens em Stories no Instagram.

 

"Eu sou um arquivo vivo e eles sabem disso... A política de Guajará-Mirim NUNCA mais será a mesma após eu ‘hablar’. Vocês estão preparados para saber a verdade nua e crua por trás de alguns vereadores que vocês já tiveram a coragem de votar e hoje VOCÊS pagam para legislar e representar vocês? SIM ou NÃO?”, perguntou ela após lançar uma enquete, onde 96% dos participantes apoiaram a atitude da prefeita afastada do cargo.

 

Na sequência da postagem divulgada pelo ativista social e jornalista Carlos Caldeira, Raissa diz ter print de conversa de um "vereador moralista" pedindo propina para votar contra a abertura de CI (Comissão Investigatória) contra ela. Ela ainda acusa um ex-deputado de estar por trás de tudo isso, pagando para abrirem CI contra a mesma.

 

Raissa Paes foi para as redes sociais fazer ameaças logo após oito dos 12 vereadores votarem a favor da aceitação da denúncia contra ela na Câmara, que pode culminar com a cassação definitiva de seu mandato, antes mesmo do afastamento cautelar chegar ao fim.

 

“Resta saber agora, depois dessa ameaça velada, e em redes sociais, Raissa Paes vai falar o que sabe, e ela realmente deve saber muito, para os investigadores da DRACO II e do CAEX/MP”, observou Carlos Caldeira em seu blog.

 

Os vereadores que votaram para aceitar a denúncia contra Raissa e recusar a "denuncia plantada" contra a prefeita em exercício Mary Granemann foram: Adanildson Sicsú, Alexandre Santos, Elias Crispim, Francisco Oro Waram, Kerling Aparecido, Raimundo Barroso, Wem Cacamim e Romerito Pereira.

 

Já os vereadores Alexandre Melo, Carlos Alberto Dias, Agostinho Figueiredo e Willian de Souza votaram para não aceitar a denúncia contra Raissa Paes.

 

Passos

 

A denúncia contra Raissa foi protocolada na Câmara de Vereadores no último dia 16, chegando a ser protelada pelo presidente João Vanderlei de Melo, que não autorizou a sua pauta na sessão anterior, em 19 de fevereiro, onde alegou que "não deu tempo a denúncia chegar até os gabinetes dos vereadores, e portanto, eles não tiveram como analisar as alegações”.

 

Já supostos fatos criminosos apresentados contra a prefeita em exercício Mary Granemann foi protocolada na última segunda (26), às 11 horas da manhã. E parece que houve tempo hábil para todos os parlamentares analisarem os detalhes.

 

Segundo Carlos Caldeira, que acompanha de perto os bastidores da política guajaramirense, a  sessão teria sido bastante tumultuada pelo vereador Agostinho Figueiredo, que na gestão de Raissa Paes seria o mais beneficiado, com dezenas de cargos comissionados, e um certo poder paralelo na gestão da saúde. Ainda de acordo com Caldeira, Agostinho é um dos mais ferrenhos defensores do marido da prefeita (Antônio Bento), tanto que o chamava de “prefeito”.

Direito ao esquecimento
Como você classifica a gestão de Cleiton Cheregatto em Novo Horizonte do Oeste?
Quem é mais culpado pelas enchentes em Porto Velho?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS