SURREAL: Passagens saindo de Porto Velho custam o mesmo que para Europa

Rápido levantamento feito pelo Rondoniaovivo mostra que bilhetes estão em valores médios acima dos 2 mil reais

SURREAL: Passagens saindo de Porto Velho custam o mesmo que para Europa

Foto: Divulgação/Governo de Rondônia

A vida do rondoniense que quer viajar para descansar, fazer cursos ou fazer tratamentos de saúde fora do estado não está nada fácil. Com as sistemáticas suspensões ou cancelamentos de rotas, como os voos diretos para Manaus, os assentos diminuem e os preços das passagens estão nas alturas.

 

Um levantamento rápido feito pelo Rondoniaovivo mostra que os valores médios saindo de Porto Velho para São Paulo (qualquer aeroporto) ultrapassa a casa dos 2 mil reais.

 

Passagem menos cara para São paulo custa "apenas" R$ 2.287,66 - Foto: Reprodução de tela

 

Apenas por curiosidade, o jornal eletrônico fez uma simulação de viagem no mês de abril, com saída no dia 10 e volta no dia 30. O susto foi enorme, pois a passagem menos cara ficou em R$ 2.287,66 (na Azul). Na Latam está R$ 3.311,25 e na Gol, a pequena fortuna de R$ 4.544,41.

 

Enquanto isso, na mesma Latam e nas mesmas datas de saída e retorno, um bilhete São Paulo – Paris (França) – São Paulo sairia R$ 4.537 na classe econômica e com direito à franquia de duas bagagens de 23 quilos, enquanto os valores simulados entre Porto Velho e a capital paulista pelo Rondoniaovivo são possíveis apenas com uma bagagem de mão de 10 quilos.

 

Segunda passagem ultrapassa os 3 mil reais na Latam - Foto: Reprodução de tela

 

Enquanto isso, se o passageiro tiver disposição e tempo de sobra, pode ir para Cuiabá e economizar bastante. O bilhete na Latam entre a capital do Mato Grosso e São Paulo custa menos de 600 reais e ainda com direito a despacho de uma bagagem de 23 quilos.

 

Agora, o medo dos passageiros locais é que tenhamos em breve um aeroporto novo em Porto Velho, que deve ser entregue em outubro e que ele não tenha nenhum voo para atender a demanda do estado.

 

Bilhete entre Cuiabá (MT) e São Paulo custa menos de 600 reais e com direito à bagagem de 23 quilos - Foto: Reprodução de tela

 

Luta

 

O Ministério Público de Rondônia (MPRO), representado pela promotora de Justiça Daniela Nicolai de Oliveira Lima, titular da curadoria de Defesa do Consumidor, esteve presente durante a terceira audiência de conciliação para tratar da retomada de rotas suspensas e cancelamentos de voos no estado. A reunião aconteceu em formato híbrido, na última segunda-feira (26).

 

De acordo com a Promotora de Justiça, a instituição procurou junto ao estado a concessão de benefícios fiscais, após justificativa apresentada pelas empresas para a redução do número de voos, como o alto preço do combustível.

 

Mesmo após contrapartida do estado para desafogar as empresas aéreas, através de medida de incentivo fiscal no final do ano passado, que previu a redução na alíquota do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) no que se refere aos tributos de querosene para abastecimento de aeronaves em voos regulares originados em Rondônia, às companhias aéreas continuam com cancelamentos injustificados e voos reduzidos no estado.

 

Gol já tira "o couro" do rondoniense e cobra quase 5 mil reais em uma passagem entre Porto Velho e São Paulo - Foto: Reprodução de tela

 

A integrante do MPRO ressaltou que com a medida os custos operacionais das empresas aéreas diminuiu e era esperado que a oferta de voos diários para o estado fosse ampliada. Entretanto, os voos retirados não foram retomados, tampouco houve a redução nos valores aplicados atualmente, tornando inviável a conciliação e sendo pedido a procedência da ação.

 

Durante a reunião, as empresas aéreas argumentaram ter liberdade de rota e tarifária, e que no momento ainda não há previsão de aumento na malha viária ou inclusão de novos voos para Rondônia.

 

A Latam destacou que continua com a mesma malha viária, e a oferta de voo direto de Porto Velho a Manaus é sazonal e era ofertado em alta temporada, sendo extinto após o término da temporada.

 

Se o morador de Rondônia quiser ir para Paris, pode pagar o mesmo preço que paga para viajar dentro do país; o problema é só chegar a São Paulo - Foto: Reprodução de tela

Direito ao esquecimento
Nos últimos 25 anos, qual prefeito de Porto Velho teve a melhor gestão?
Como você classifica a gestão de Alex Testoni em Ouro Preto do Oeste?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS