ACIDENTE: Sobrevivente da queda de avião da Chapecoense escapa da morte de novo

Erwin Tumiri, que estava em voo do time catarinense, que caiu em 2016, sobreviveu à queda de um ônibus em um precipício na Bolívia

ACIDENTE: Sobrevivente da queda de avião da Chapecoense escapa da morte de novo

Foto: Divulgação

 

Ao menos 20 pessoas morreram e outras 13 ficaram feridas em um grave acidente ocorrido na terça-feira (02/03) em uma estrada de Cochabamba, no centro da Bolívia, quando um ônibus de passageiros caiu em um precipício, informou a polícia. Mas o detalhe é que Erwin Tumiri, um dos sobreviventes do acidente aéreo que vitimou quase toda a delegação da Chapecoense, em 2016, estava no veículo.
 
 
O técnico de aviação renasceu mais uma vez. A irmã de Erwin, Lucía, disse que ele passou por outro milagre. "Ele está estável, graças a Deus. Mais uma vez ele foi salvo. Eu estava muito preocupada. (...) Me sinto feliz pelo meu irmão. Ele está com ferimentos no joelho e arranhões nas costas, está com um corte que vai ser suturado", disse, ao jornal boliviano 'Los Tiempos'.
 
"Conversei com ele, ele disse que está bem. É a força do Senhor, Ele sempre cuida de nós no seu tempo", comemorou. Erwin Tumiri, a comissária de bordo Xemena Suarez, o jornalista Rafael Henzel (que morreu em 2019 vítima de um infarto) e os jogadores Alan Ruschel, hoje no Cruzeiro, Jakson Follman, que encerrou a carreira, e Neto, ainda na Chape, foram os únicos sobreviventes do desastre aéreo que matou 71 pessoas, entre atletas, membros da comissão técnica, jornalistas, dirigentes e tripulação do voo da Lamia, que transportava a equipe catarinense para a disputa da final da Copa Sul Americana, em 29 de novembro de 2016.
 
ÔNIBUS
 
"Até o momento, lamentamos 20 mortos e aproximadamente 13 pessoas feridas", disse o chefe do escritório policial de Trânsito, o coronel Helsner Torrico Valdez.
 
O acidente ocorreu à 1h da madrugada (2h de Brasília) em uma estrada que une os departamentos de Cochabamba e Santa Cruz (leste), quando o ônibus caiu em um precipício de 150 metros de profundidade. A polícia investiga as causas do acidente, o mais grave de 2021, e não descarta que aumente o número de mortos.
 
 
Torrico acrescentou que os feridos foram transferidos aos hospitais da região e para a cidade de Cochabamba, 400 km ao leste de La Paz. Socorristas estavam no local do acidente, à procura de outros corpos presos embaixo do ônibus.
 
O último acidente de estrada grave na Bolívia aconteceu em setembro passado, quando um ônibus caiu em um penhasco, deixando 19 mortos e 17 feridos.
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS