ESPAÇO ABERTO: Marcos Rocha retorna ao PSL e com planos para 2022

ESPAÇO ABERTO: Marcos Rocha retorna ao PSL e com planos para 2022

Foto: Divulgação

CACIQUE
 
Governador Marcos Rocha se filiou ao PSL e assumiu a presidência do partido em Rondônia. Retorna para a legenda que o elegeu, com o compromisso de atrair mais filiados e aumentar número de cadeiras na Assembléia e no Congresso.
 
 
 
ALIADO
 
Antes do encontro com o presidente nacional do partido, deputado federal Luciano Bivar, o Governador teria conversado com Bolsonaro e apresentado o atual cenário político em Rondônia. O Presidente teria ficado satisfeito com o trabalho de Rocha e seus aliados.
 
FIEL ESCUDEIRO 
 
Na audiência de filiação realizada em Brasília, Bivar pediu que o secretário-chefe da Casa Civil, Junior Gonçalves, assuma o comando da Secretaria Geral da legenda em Rondônia. Junior aceitou a missão.
 
 
 
TRABALHO
 
Desta forma, o grupo liderado por Marcos Rocha já começa a traçar os caminhos que deve tomar para as eleições do ano que vem. O objetivo inicial é a montagem de uma chapa com nominata forte que possa eleger deputados federais e estaduais.
 
HISTÓRICO
 
Marcos Rocha nunca se afastou efetivamente do PSL em Rondônia. Somente saiu da legenda para acompanhar o presidente Bolsonaro. Rocha sabe que o PSL é muito popular no estado e seria uma missão árdua covencer o eleitor da opção de um outro partido.
 
SEM OPOSIÇÃO
 
Importante destacar também que o PSL está presente no mandato de Marcos Rocha, que sempre manteve respeito com a legenda. O PSL se tornou um dos grandes partidos brasileiros ao ter Bolsonaro como seu líder maior. 
 
GIGANTE
 
Aliás, a força conquistada pelo PSL no estado deverá ser o norte da equipe de trabalho que vai tentar reeleger Marcos Rocha. As visitas ao interior já tem sido um termômetro para definir as estratégias que deverão ser usadas. 
 
INCERTEZA
 
O cenário incerto não permite a nenhum dos pretensos candidatos, sequer, arriscar possibilidade de segundo turno. Na verdade, Marcos Rocha poderá ser o único a disputar a eleição não tão confortável quanto Marcos Rogério, por exemplo.
 
MANDATO
 
O senador pelo DEM pode disputar o Governo e voltar para o Senado caso não se elega, já o Governador se perder a reeleição terá que reavaliar suas pretenções políticas.
 
 
 
"AMIGO"
 
Além de postulantes como Marcos Rogério, o governador poderá ter outro provável adversário de peso na campanha. O Senador Confúcio Moura já vem gastando sola de calçado há alguns meses. Confúcio é outro que se não se eleger pode retornar para Brasília.
 
 
AVISO
 
Na terça-feira, o senador Confúcio Moura (MDB-RO) comunicou em pronunciamento que está se licenciando temporariamente do mandato para tratar de assuntos particulares. O parlamentar disse que ira se afastar a partir do dia 24 de setembro. Quem assume a vaga é a professora Maria Eliza de Aguiar e Silva (MDB). 
 
ARREGAÇAR AS MANGAS
 
De acordo com o senador, nesse intervalo, ele irá cumprir as funções de vice-presidente Nacional do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), e que, inicialmente irá trabalhar no Estado de Rondônia ajudando a montar as chapas, as alianças para o ano que vem, juntamente com o deputado federal Lúcio Mosquini, presidente da agremiação no Estado.
 
MOBILIZAÇÃO
 
Confúcio Moura afirmou que pretende ajudar a organizar os diretórios também com os vereadores em cada localidade. “Queremos congregar, de tal forma que a gente possa ter um partido unido, um partido que a gente possa fazer em 2022 mais deputados federais e mais deputados estaduais do MDB, e isso tudo depende do trabalho que inicia agora, portanto é um dos fatores da licença”, concluiu.
 
VITALIDADE
 
Essa empolgação toda do senador Confúcio me fez lembrar o jingle de Ulisses Guimarães na campanha para Presidente em 1989. A letra dizia: "bote fé no velhinho. O velinho é demais". Parece que o ilustre Confúcio incorporou de vez o refrão da música.
 
TEM MAIS
 
Pra quem achar que já tá bom assim, eu lembro ao nobre leitor que nessa "briga" ainda tem mais peso pesado aguardando o omelete ficar pronto. Leo Moraes, Hildon Chaves e Daniel Pereira também estão de olho na passagem do  "homem da caixa de ovos".
 
 
 
OPÇÃO
 
Na verdade, o Triunvirato citado acima pode optar por uma disputa, digamos, mais confortável do que ao governo. Ambos tem a hipótese muito arriscada para o Senado e o caminho mais sossegado à Câmara Federal ou Assembleia.
 
LOTERIA
 
A questão é pagar para ver e trocar o que é certo pelo duvidoso. Sem base forte, bons aliados, prestígio e presença constante no interior, político da capital não arruma voto nem na birosca do Manoel, no Vale do Guaporé.
 
FREAR CONSUMO
 
De olho na inflação cada vez maior, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) elevou a taxa básica de juros, a Selic, em 1 ponto percentual, para 6,25% ao ano, nesta quarta-feira (22). 
 
QUASE IGUAL
 
Já o Fed (banco central dos EUA) decidiu manter a taxa americana no intervalo entre 0% e 0,25%, ao mesmo tempo em que sinalizou que os juros do país devem ter a primeira alta já em 2022. 
 
OPORTUNIDADE
 
O Brasil deve gerar 565 mil vagas temporárias de trabalho no último trimestre deste ano, de acordo com dados da Assertem. A projeção é considerada conservadora pela associação, devido à insegurança econômica que as empresas ainda enfrentam por causa da pandemia. A  Assertem espera que datas como Dia das Crianças, Black Friday e Natal ajudem a gerar vagas formais no mercado.
Direito ao esquecimento

Em qual supermercado você prefere fazer suas compras?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública.

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS