AUDIÊNCIA: Garimpeiros vão à Assembleia Legislativa defender regularização da exploração em RO

Presidente da ALE, Alex Redano, já se declarou favorável a atividade dos garimpeiros

AUDIÊNCIA: Garimpeiros vão à Assembleia Legislativa defender regularização da exploração em RO

Foto: Arnold Fortes/Rondoniaovivo | Garimpeiros se reúnem em sala para acompanhar a audiência na ALE

Uma audiência pública está acontecendo, nesta quarta-feira(8), na Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO), que debate a regularização do garimpo em Rondônia. O presidente da ALE, Alex Redano, defendeu a ação dos garimpeiros e pediu legalização do trabalho da categoria.
 
É uma situação que traz preocupação. O nosso garimpeiro, infelizmente, ainda existe muita descriminação na produção. A gente está fazendo essa audiência aqui com todas as autoridades presentes é para colocar as condições: até que ponto pode garimpar e de que maneira. Então, a ideia é trazer uma regulação para o mercado mineral”, declarou Alex Redano.
 
Alex Redano, presidente da ALE/RO | Foto: Rondoniaovivo
 
O presidente relatou que o ouro é o elemento mais procurado em Rondônia e que a iniciativa visa trazer justiça na exploração desse metal.
 
“Nós queremos deixar os garimpeiros trabalharem tranquilamente. Não é justo a pessoa trabalhar com receio de uma fiscalização mais agressiva e as dragas serem queimadas. Então, a gente tem essa preocupação”, afirmou.
 
Segundo Alex Redano, esse processo de regularização também é para unir os garimpeiros, onde será considerado ilegal, o trabalho isolado. As cooperativas são responsáveis por essa parceria desses trabalhadores. 
 
Foram convidados para participar da audiência o Ministério Público Federal (MPF), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Marinha do Brasil, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), deputados e representantes dos garimpeiros.
 
Classe dos garimpeiros
 
O Delegado Nacional dos Mineradores de Ouro do Tapajós, José Altino Machado, também conversou com a imprensa e criticou a atuação do Governo Federal com relação aos garimpeiros.
 
“Garimpeiro é a única profissão que consta na Constituição Federal, além dos advogados e tem um capítulo também que diz que compete a União, organizar a classe garimpeiro e ela não fez a parte dela. É por isso que a gente está com esse problema. Então a nossa proposta é que a ela [União] devolva o poder de organização para os estados, através de uma lei específica”, explicou José Altino.
 
Delegado Nacional dos Mineradores de Ouro do Tapajós, José Altino Machado, defende a classe | Foto: Rondoniaovivo
 
O delegado garantiu também que os garimpeiros atuam dentro dos limites da preservação.
 
“Muita gente fala em mercúrio. Não há caso no Brasil de poluição de mercúrio de garimpagem em lugar nenhum. Já veio uma universidade alemã, pesquisou, nada encontrou. Existe uma grande diferença.  Porto Velho vai ser alvo de mercúrio por causa da barragem. Então esse é um mercúrio diferente. O que nós usamos é azougue, ele é inerte, não tem cheiro”, finalizou.
 
Assista a coletiva de imprensa abaixo:
 
Direito ao esquecimento

Você concorda que quem não se vacinou deveria pagar mais impostos?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS