COLUNA SEMANAL: “Andamos com um alvo nas costas”, diz policial penal federal após ataque

Veja também na coluna que continua a contenda entre procuradores estaduais e deputados estaduais; chuvas no Sul do Brasil não devem impactar nos preços de alimentos em RO; Rondônia Rural Show é o assunto da semana.

COLUNA SEMANAL: “Andamos com um alvo nas costas”, diz policial penal federal após ataque

Foto: Divulgação

 

RO Rural Show

 

Na segunda-feira(20), Ji-Paraná estará sediando, até o dia 25, uma das mais tradicionais feiras agropecuárias da região Norte. A Rondônia Rural Show Internacional entra na 11ª edição, prometendo ser a maior e melhor de todas as que já ocorreram. O tema dela é “Agricultura da Amazônia”. Ano passado, o volume de negócios chegou a R$ 3,5 bilhões que vieram das transações comerciais dos 630 expositores que participaram do evento.

 

Confúcio Moura

 

A criação da  Rondônia Rural Show Internacional, queiram ou não, se deveu à visão de futuro do ex-governador Confúcio Moura, que acreditou e apostou na feira. Hoje, ela é a maior feira de agropecuária da região Norte e uma das maiores do Brasil. A Rondônia Rural Show Internacional ultrapassou as fronteiras brasileiras e conta com visitantes de vários países que vem até Ji-Paraná ávidos para comprar o que o agronegócio rondoniense produz. A coluna deseja sucessos!

 

Governador Preocupado

 

Em uma semana dificílima para a população do Rio Grande do Sul, eis que surge o governador gaúcho, Eduardo Leite, em um vídeo, publicado nas redes sociais, afirmando que o alto volume de doações para o Estado, feitas de todo o Brasil, poderiam prejudicar o comércio local. A fala foi criticada por todos os lados e os memes sobre a frase do governador, se espalharam pela internet. O governador fez um vídeo se desculpando, mas aí, já era tarde, o estrago já estava feito. Ainda bem que essa foi a opinião apenas de Eduardo Leite. A solidariedade do povo brasileiro é bem maior que essa conversa!

 

Vereador Sem noção

 

A tragédia que atingiu o Rio Grande do Sul mostrou sofrimento, solidariedade dos brasileiros e um bando de gente ‘sem noção’. Nesse cenário de terra arrasada que se transformou o Estado gaúcho, eis que aparece na Câmara dos Vereadores de Caxias do Sul, o vereador Sandro Fantinel (PL), com a brilhante ideia de propor uma lei que visa derrubar árvores e a mata nativa do município como forma de se “evitar desastres”. Como se não bastasse, o político ainda afirmou que o que ocorreu no Estado se deve ao fato de haver “muito verde” e que as leis ambientais impedem o crescimento econômico. Veja no link! Se bem que Fantinel já está acostumado a sair com pérolas desse tipo.

 

De Novo

 

No ano passado, em fevereiro, quando uma operação da polícia foram encontrados trabalhadores baianos em condições análogas à escravidão na colheita da uva, no município de Bento Gonçalves,  Sandro Fantinel afirmou que os produtores deveriam contratar funcionários “limpos” para o trabalho, e não buscar  “aquela gente lá de cima”, se referindo aos nordestinos.

 

Segunda Vez

 

Como sempre acontece nessas situações, o vereador gravou um vídeo depois, se desculpando pelas palavras e jurando que tem “ muito apreço ao povo baiano e a todos do Norte e Nordeste do país”. Pela fala racista ele foi expulso do Patriotas e escapou de perder o mandato na votação feita pelos pares dele na Câmara. Vamos ficar de olho para que os nossos políticos não continuem com essas ideias de acabar com áreas de preservação ambiental e demais desatinos para afrouxar a legislação ambiental. Progresso econômico nenhum é válido quando se destrói rios, florestas e animais! Exemplos não faltam!

 

Prejuízo

 

O Rio Grande do Sul é um celeiro de produção agrícola no Brasil. No entanto, com as inundações, segundo a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o prejuízo causado pelas águas na agricultura gaúcha já alcança os R$2,3 bilhões. Esse número pode aumentar. Nesse cenário, o medo do desabastecimento e da alta no preço de alguns produtos começou a rondar a vida dos brasileiros.

 

Abastecimento

 

A Coluna procurou o superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento em Rondônia, Rosemberg Pereira(foto), para saber se existe o perigo da falta de produtos. Ele tranquilizou que apesar da situação gaúcha, a Conab não identifica risco de desabastecimento de nenhum produto. Sobre o arroz que tem sido alardeado como um dos mais afetados pelas quebra da produção, foi enfático. “Observa-se que o Rio Grande do Sul tem grande participação na produção nacional de arroz, produto este que tem sido significativamente comentado nos diversos noticiários econômicos, haja vista que os gaúchos são detentores de aproximadamente 74% de todo o arroz produzido no Brasil, o que justifica a atenção que o Governo Federal tem dado a esta cadeia produtiva. De imediato a Conab está adquirindo 104 mil toneladas de arroz, com previsão de destinação inicial para as praças dos maiores estados do país. A ideia é suprir, prioritariamente, os pequenos varejistas que se abasteciam de atacadistas que detinham fontes de estoque no Rio Grande do Sul”, informou.

 

Agricultura Forte

 

Sobre Rondônia, Rosemberg Pereira, disse que grande produção agrícola local é uma defesa que temos e que pode amenizar os impactos em situações como a atual, mesmo que muitos produtos venham de outros lugares. “No nosso Estado espera-se um impacto menor, quando comparado com alguns outros estados brasileiros, pois temos produções agropecuárias relevantes, a exemplo da carne bovina. Boa parte dos hortifrutigranjeiros que consumimos aqui tem origem nas regiões centro-oeste e sudeste, a exemplo de São Paulo. Obviamente que Rondônia não é um estado que está blindado a possíveis especulações econômicas trazidas pela crise climática vivida no Rio Grande do Sul, entretanto, a priore, não se espera que condições muito adversas sejam enfrentadas pelos consumidores rondonienses”, avaliou.

 

Buracos nas estradas

 

Um leitor atento da coluna entrou em contato preocupado com o período da colheita de soja em Rondônia e o impacto que isso causa nas estradas locais. Ele afirmou que deveria se fazer uma força tarefa envolvendo os órgãos de fiscalização das estradas(DER,DNIT,PRF) entre outras para controlar o peso das carretas que, muitas vezes, circulam com o peso além do permitido, deixando um rastro de estradas esburacadas, que colocam em risco a trafegabilidade. Ele destacou que o agronegócio ganha muito, mas não investe uma parte do lucro nas estradas que utiliza, deixando a conta pela recuperação das vias para o cidadão comum pagador de impostos. Recado dado!

 

DER

 

Aliás, essa semana o Programa Conexão Rondoniaovivo, apresentado pelo jornalista Ivan Frazão, conversou com o diretor-geral do Departamento de Estradas e Rodagens de Rondônia, Eder Fernandes. Ele falou sobre o orçamento do órgão, as principais ações e as dificuldades de conservação das estradas estaduais devido à grande circulação de carretas com excesso de peso. Assista a entrevista no link

 

Escola João Bento

 

Mudando um pouco a conversa, chegou até a coluna que a piscina da Escola Estadual de Ensino Médio Professor João Bento da Costa, na zona Sul, de Porto Velho, está fechada e o projeto de natação, que tem mais de 20 anos, desenvolvido no local, suspenso. O motivo dessa lamentável situação não soube nos informar. O que temos certeza é que os prejuízos para os alunos e para a comunidade são imensos. Só para se ter uma ideia essa piscina e o projeto desenvolvido nela com os jovens já revelaram grandes nomes da natação e a escola já foi decacampeã do Jogos Escolares do Estado de Rondônia e conquistou nos Jogos Escolares da Juventude. Ou seja, é um sucesso e que deve ser estimulado e não paralisado.

 

Resposta da Seduc

 

A coluna procurou a Secretaria Estadual de Educação para saber os motivos da paralisação e se a piscina seria reaberta para a comunidade. Através de nota, não informaram as razões do fechamento da piscina, mas deram um prazo para reabertura das atividades aquáticas no Colégio João Bento. Veja o texto: “A Secretaria de Estado da Educação - Seduc vem a público informar que o projeto de natação da Escola Estadual João Bento da Costa, em Porto Velho, retornará às suas atividades em aproximadamente 15 dias”. Vamos ficar de olho!

 

Procuradores e Deputados

 

E a queda de braço entre procuradores do Estado e os deputados estaduais parece que está longe de terminar. De um lado, os parlamentares estaduais que decidiram acabar com algumas regalias dos membros da Procuradoria Geral do Estado. Os deputados foram para cima e aprovaram uma emenda que acabou, por exemplo, com as duas férias anuais, o direito de advogar e o trabalho home-office. Dizem que muitos procuradores nem apareciam mais no CPA.

 

Exoneração

 

Do outro lado, estão os procuradores, que são 86 em Rondônia, que, óbvio, não querem perder esses benefícios. Uma fonte na PGE disse à coluna que a disputa com os parlamentares estaduais não é com a categoria. “Na verdade, é dos deputados com o procurador-geral. Ele fez várias ilações em relação às emendas parlamentares e isso foi o estopim dessa crise. A carreira está pressionando para ele pedir exoneração”, explicou.

 

Ataque a policial penal

 

Um ataque a um policial penal federal, na última terça-feira(14), em Porto Velho, colocou Rondônia na mídia nacional. O policial escapou por sorte de não morrer e nem se ferir. Depois que a notícia se espalhou, uma verdadeira força-tarefa foi montada pelas polícias para chegar aos autores do crime. Dois carros, supostamente usados no atentado, foram encontrados incendiados na Estrada do Areia Branca, na capital. Um suspeito foi preso. O que se sabe até o momento é isso, pois, os responsáveis pela investigação afirmam que no momento não podem divulgar mais detalhes para não atrapalhar a apuração. Vamos aguardar o desenrolar dos fatos!

 

Alto valor

 

Nesta esteira do atentado, um representante do Sindicato dos Policiais Penais Federais participou do Conexão Rondoniaovivo, com o jornalista Ivan Frazão, onde falou sobre essa tentativa de assassinato. Ele disse que desde 2014, a categoria tem estado na mira das organizações criminosas, que visam enfraquecer o Estado. Outra informação dada pelo policial foi a de que essa é a quarta tentativa de homicídio contra um policial penal federal em Rondônia. Ele contou que para a execução de um policial penal federal, a facção tem investido alto valor nos atentados. “Nós somos uma categoria que tem um alvo nas costas”, declarou. Veja a entrevista no link

 

Músico Bado

 

Para aliviar, uma boa pedida cultural, de 27 a 31 de maio, em Porto Velho. Trata-se da Amazonialidades. O evento celebra a carreira de sucesso do músico e compositor rondoniense Bado,  e que irá reunir arte, história, música e poesia. Ele é uma das grandes referências musicais de Rondônia no cenário nacional e, claro, um dos grandes agitadores da cultura local. São 40 anos cantando a Amazônia e Rondônia. Imperdível.

 

Direito ao esquecimento
Qual loja você acha que deve receber a nova Estátua da Liberdade da Havan?
Como você avalia a gestão do prefeito Lezão em Rio Crespo?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS