BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

ESPAÇO ABERTO: Uma morte no Espaço Alternativo que só serviu para ser mais uma estatística

Confira a coluna de Cícero Moura

CÍCERO MOURA/RONDONIAOVIVO

03 de Agosto de 2020 às 09:07

Atualizada em : 03 de Agosto de 2020 às 16:09

Foto: Divulgação

VELOCIDADE
 
Na sexta-feira, passava pouco dás 23h, quando eu recebi o vídeo de um “racha” no Espaço Alternativo. O flagrante tem poucos segundos e a velocidade dos carros é tão rápida que nem com o recurso de “congelar” a imagem é possível identificar os veículos.
 
 
SUSTO
 
Durante os segundos de gravação é possível ouvir o áudio das pessoas impressionadas com a irresponsabilidade dos condutores dos carros. As imagens falam por si só.
 
MAIS OUTRO
 
Já no domingo, um vídeo, também no Espaço Alternativo, mostra um capotamento ocorrido à noite. A postagem das imagens nas redes sociais aconteceu por volta de 22h.
 
Print do vídeo gravado na noite de ontem (2) no acidente com capotamento no Espaço Alternativo, em Porto Velho
 
TERRA DE NINGUÉM
 
Foram muitas as mensagens que recebi ao dizer que o Espaço Alternativo virou uma “terra de ninguém”. Alta velocidade, uso de drogas, cenas de lascívia e outras barbaridades se misturam às pessoas de bem que frequentam o local.
 
APOIO
 
Dezenas de pessoas escreveram para a coluna revelando concordar com os atos denunciados e ainda fizeram outras observações bem pertinentes. O perigo dos rachas e a escuridão no tal local que deveria ser um estacionamento foram os temas mais contextualizados.
 
COBRANÇA
 
Junto com as ponderações, as pessoas também se queixaram da falta de policiamento que poderia ao menos intimidar a cambada de sem serventia que vai para lá por em risco a integridade física das pessoas de bem.
 
POLÍCIA
 
Quando à coluna fez a segunda denúncia sobre o desleixo que vem ocorrendo no Espaço Alternativo, a Polícia Militar informou que fazia patrulhamento no local e chegou a realizar duas operações de fiscalização.
 
PAROU
 
Diante dos registros absurdos do fim de semana, duas hipóteses vem à cabeça. Ou o Batalhão de Trânsito está entupido de serviço ou voltamos ao patrulhamento tímido, também chamado de faz de conta.
 
ESQUECIMENTO
 
E o ciclista Tiago, morto atropelado quando cruzava na faixa de pedestre localizada em um dos pontos do Espaço Alternativo? Bom, no caso dele a dor da família será eterna já as autoridades que deveriam usar a tragédia do rapaz como motivo para intensificar à fiscalização no local estão por aí.
 
Bicicleta de Tiago, morto em um acidente causado por uma disputa de racha entre dois veículos no Espaço Alternativo. 
 
OUTRO LADO
 
A coluna enviou e-mail para a Secretaria Estadual de Segurança e aguarda retorno sobre as medidas que foram ou estão sendo tomadas em relação aos abusos que vem ocorrendo no Espaço Alternativo.
 
INTOLERÂNCIA
 
Um vídeo de duas mulheres discutindo por causa de vaga em um estacionamento de um supermercado da capital revela que não é só a pandemia que contamina as pessoas. A falta de bom senso também é um mal que acomete muita gente, e o que é pior: não existe vacina para a estupidez.
 
VAZAMENTO
 
Moradores do bairro Embratel, zona Norte de Porto Velho, reclamaram de desperdício e transtornos no cruzamento das ruas Costa Rica e México, onde havia um vazamento de água.
 
 
 
PALIATIVO
 
Diante da inércia rotineira do Poder Público, que costuma levar um Século para resolver problemas dessa natureza, a população improvisou. Foram colocados pedaços de madeira bem no meio do cruzamento.
 
OUTRO LADO
 
Ainda na sexta-feira à tarde, conversei com José Irineu, presidente da Caerd, que informou que mandaria um equipe no local. Horas depois, Irineu me enviou fotos do problema resolvido. 
 
RESPOSTA
 
O jornalista Lenilson Guedes, Superintendente de Comunicação do Governo de Rondônia, enviou nota referente ao comentário que este colunista fez sobre as operações da Polícia Federal e Controladoria Geral da União, na Secretaria Estadual de Saúde. Lenilson também esclareceu sobre denúncia que recebemos sobre censura nas redes sociais do Governo.
 
A Nota está na íntegra.
 
Senhor jornalista José Cícero Dutra de Moura, fico feliz em o senhor buscar o outro lado como nos apresenta a ética do jornalismo. 
A primeira pergunta que faço, antes de responder sua preocupação ou a denúncia feita é:
Onde está a roubalheira do governo de Rondônia. Ficaremos gratificados eternamente se você ou outra pessoa, nos apresentar. Com provas. 
 O governo atual foi eleito na égide do combate à corrupção. Se você tivesse um pouco mais de cuidado e buscasse as informações que você mesmo publicou, veria que a nossa CGE – Controladoria Geral do Estado assinou parceria com a Polícia Federal para o combate a esta prática daninha. 
Ficamos tristes com insinuações diárias sem nenhuma comprovação. Tristes também porque não se mostram as conclusões das operações realizadas contra o governo. Se divulga, como dizem os operadores do direito, a inicial e não se busca a conclusão destes processos. Lamenta-se por isso.
*
O principal objetivo da presença do Governo de Rondônia nas redes sociais é aproximar a população do Poder Executivo, sendo um espaço onde o cidadão tenha voz e expressão, bem como, ser um canal onde o governo possa compartilhar as ações que beneficiam o cidadão rondoniense, através do trabalho de suas diversas entidades da administração direta e indireta.
 
O Governo de Rondônia teve sua página de facebook criada em 17 de março de 2011, sendo um dos pioneiros nessa empreitada de utilizar as redes sociais como um canal aberto com o povo. Todos os perfis nas diversas plataformas são verificados (selo azul), justamente para enfatizar o compromisso com a veracidade das informações ali postadas.
 
Gerir essa comunidade e unir pessoas por todo o Estado de Rondônia depende da capacidade de compartilhar diversos pontos de vista, ideias, opiniões e expressividades. Desejamos que as pessoas possam falar abertamente sobre suas opiniões e anseios, pois assim, o governo de Rondônia tem a oportunidade de conhecer um pouco mais o cotidiano do seu povo, e as peculiaridades de cada região através da expressão do próprio cidadão. No momento que esta nota está sendo escrita, já somos mais de 110 mil rondonienses conectados através dessas redes (contabilizando apenas o facebook).
 
Enquanto instituição governamental, temos o dever de nos respaldar nos princípios constitucionais, e enquanto instituição governamental que utiliza uma rede social como canal de comunicação autêntico, temos a responsabilidade de nos respaldar nas Diretrizes e Padrões da Comunidade direcionadas pelo próprio Facebook, por isso, todos os nossos perfis são regidos por um Termo de Uso, um conjunto de regras que existem desde o momento que o perfil foi criado, ainda em 2011, e é atualizado constantemente em concordância os princípios constitucionais e também com as Diretrizes do Facebook.
 
Esses termos de uso pontuam as seguintes regras para os seguidores da rede social do Governo de Rondônia:
- Não faça publicidade ou propaganda de empresas, serviços ou politica;
- Mensagens ofensivas, que contenham palavrão, discriminação de qualquer tipo ou que disseminem ódio e preconceito não serão permitidas;
- Não é permitido fazer ou mandar spam.
- Os comentários ou perfis de usuários que apresentam essas atividades de forma abusiva e frequente serão excluídos ou banidos sem aviso prévio.
 
O termo está disponível na aba Termos de Uso, na versão desktop do Facebook do Governo de Rondônia, bem como, foi aplicado como nota em todas as páginas de entidades governamentais oficiais que se encontram na rede social Facebook, como a exemplo da Sesau neste link: https://www.facebook.com/notes/sesau-secretaria-de-estado-da-sa%C3%BAde/termo-de-uso-de-redes-sociais-do-governo-do-estado-de-rond%C3%B4nia/2214487368612349
 
Por fim, toda a moderação de comentários ou banimento de seguidores que a Coordenação de Inteligência Digital desta SECOM – Superintendência de Comunicação do Governo do Estado de Rondônia realiza, é direcionada nesses termos citados acima, e em hipótese alguma a exclusão ou banimento de pessoas das redes sociais do governo de Rondônia acontecem por motivos de supressão de opiniões contrárias as ações do governo, visto que este ato é inconstitucional e também não aprovado pelos padrões de comunidade do Facebook. Pelo contrário, utilizamos essas expressões como métrica para melhorar o atendimento as necessidades e anseios da população, pois esse é um dos objetivos da presença do governo nestas redes sociais.
 
Outra sugestão: lhe informo que  a pessoa pode denunciar também, e tem este direito, qualquer cidadão, para a Ouvidoria do Estado. Assim, a demanda será monitorada oficialmente também. A denúncia na ouvidoria pode ser anônima.
E lhe envio também, em anexo, algumas mensagens que nos orienta, críticas, que o senhor José Cicero Moura não tenha encontrado... tem várias sim. Talvez o denunciante não tenha procurado direito
 
Esta Superintendência de Comunicação deixa a Coordenação de Inteligência Digital a disposição para esclarecimentos, e aproveita o momento para convidar a população que ainda não conhece os perfis oficiais do Governo de Rondônia, para nos curtir no Facebook, Instagram, Twitter e Youtube. Procure por @governoro, siga, curta e compartilhe.
Muito obrigado,
Jornalista Lenilson Guedes
Superintendente de Comunicação do governo do Estado de Rondônia
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS