'ACE VENTURA': A trajetória de um detetive particular em Rondônia

Foi em 1986 que Siqueira descobriu sua vocação através de uma revista em quadrinhos que descrevia a profissão

'ACE VENTURA': A trajetória de um detetive particular em Rondônia

Foto: Divulgação

Siqueira, mais conhecido como o "Ace Ventura", concedeu uma entrevista exclusiva ao Rondoniaovivo, revelando os detalhes de sua jornada como detetive particular em Rondônia, destacando as dificuldades e os prazeres inerentes à profissão. Com uma experiência de 38 anos, Siqueira compartilhou sua transição de estoquista para o mundo da investigação, aos 18 anos, movido pelo sonho de seguir os passos dos heróis das revistas em quadrinhos.
 
Localizador e micro câmera, usados durante as investigações
 
Foi em 1986 que Siqueira descobriu sua vocação através de uma revista em quadrinhos que descrevia a profissão de detetive e oferecia um curso por correspondência, o qual ele prontamente realizou. Inicialmente apelidado de "Detetive da Floresta", foi nessa fase que surgiu a alcunha que o acompanha até hoje, "Ace Ventura".
 
 
Falando sobre as dificuldades enfrentadas, Siqueira compartilhou suas primeiras adversidades, especialmente financeiras, ao abandonar um emprego estável para perseguir seu sonho. "No primeiro ano, enfrentei muitas dificuldades, principalmente financeiras. Deixei um emprego fixo para seguir meu sonho de ser detetive. Minha família achava que eu era louco por escolher essa carreira", revelou.
 
Em busca de reconhecimento na área, Siqueira buscou aprimoramento em São Paulo, realizando diversos cursos para obter certificações na área, antes de retornar a Porto Velho. Ele destacou a mudança de percepção em relação à profissão ao longo dos anos: "Antigamente, a profissão era vista como clandestina e não tinha nenhum reconhecimento."
 
 
Legalidade
 
Desde 2017 a profissão foi regulamentada e hoje existe uma legislação vigente ao setor. Ou seja, para atuar como detetive é necessário formação acadêmica e seguir algumas normas de conduta.
O único registro necessário para o detetive exercer sua profissão é feito no setor de ISS da prefeitura de sua cidade; onde recebera o alvará de “detetive profissional autonômo” (ou então basta abrir uma empresa de prestação de serviços de investigações).
 
Como uma forma de promover a profissionalização e o reconhecimento da categoria, Siqueira fundou a Associação dos Detetives Particulares Autônomos de Rondônia (Aprodeparon). Ao longo de sua carreira, ele atendeu a diversas demandas, sendo os casos extraconjugais os mais frequentes.
 
Siqueira também compartilhou experiências marcantes de sua carreira, incluindo o trabalho junto ao secretário estadual de segurança nos anos 90. Ele relembrou com nostalgia seus primeiros anos, quando, ainda jovem, teve a oportunidade de viajar pelo estado de Rondônia, desfrutando de um status especial ao lado das autoridades da época.
 
Além disso, Siqueira deixou uma mensagem para aqueles interessados em ingressar na profissão, incentivando o estudo e a busca por conhecimento contínuo. "O detetive, no dia a dia, vai se deparar com todo tipo de público, desde os mais intelectuais até as pessoas mais simples", enfatizou.
 
Com uma carreira repleta de desafios e conquistas, Gilmar Siqueira, o "Ace Ventura", é um exemplo de determinação e paixão pela investigação, inspirando aqueles que desejam trilhar o mesmo caminho.
 
Para quem tiver interesse em contratar os serviços do detetive, pode entrar em contato pelo telefone WhatsApp 69 99302-3203. 
Direito ao esquecimento
Como você classifica a gestão de Aldo Júlio em Rolim de Moura?
Qual pré-candidato à Prefeitura de Ariquemes tem sua preferência?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS