BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

VILA DNIT: Anderson cobra abastecimento de água e manutenção nos poços artesianos

A vila possui duas caixas d’água, uma com capacidade para 150 mil litros e a outra para 50 mil litros, ao todo são 200 mil litros para abastecer todas as 168 residências e 32 pontos comerciais

ASSESSORIA

10 de Julho de 2020 às 14:24

Atualizada em : 10 de Julho de 2020 às 14:55

Foto: Divulgação

 
O deputado estadual Anderson Pereira (PROS), encaminhou a Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte – DNIT/RO, oficio nº 2306/2020, pedindo informações acerca do abastecimento de água para a Vila Dnit, conjunto habitacional, localizado à margem esquerda do Rio Madeira. O parlamentar também solicitou a limpeza e manutenção dos poços artesianos existentes na localidade.
 
Tendo de cumprir os decretos de isolamento social, os moradores reclamam da falta dá água, em meio a uma indefinição entre órgão federal e estadual. Sem água nas torneiras, os moradores recebem uma vez por semana um carro-pipa da Caerd e para não morrerem de sede, têm de contratar uma empresa que leva água, mas apenas para quem pode pagar, até porque muitas famílias ali residentes estão desempregadas não tendo condições de comprar água ou pagar pelo frete.
 
A vila possui duas caixas d’água, uma com capacidade para 150 mil litros e a outra para 50 mil litros, ao todo são 200 mil litros para abastecer todas as 168 residências e 32 pontos comerciais. O volume de água de acordo com alguns moradores é insuficiente, pois os reservatórios nunca atingiram a capacidade máxima, impedindo que a água fosse distribuída para a casa de todos os moradores.
 
“Precisamos que seja normalizado de forma definitiva o abastecimento de água para todas as residências do conjunto habitacional, desde 2014, quando as casas foram entregues que estes moradores passam por esta dificuldade, por este motivo solicitamos o pleno abastecimento de água em toda vila, bem como a limpeza dos poços para entregar qualidade de vida e dignidade a esta comunidade”, finalizou Anderson Pereira.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS