ENTENDA: O que o show da Madonna, as enchentes no RS e o esporte têm em comum?

Isso é tão óbvio, mas tão óbvio que você provavelmente nem tenha percebido

ENTENDA: O que o show da Madonna, as enchentes no RS e o esporte têm em comum?

Foto: Reprodução

Quando pesco pela memória, me recordo do professor de sociologia adentrando a sala de aula e escrevendo um nome na lousa e o pronunciando simultaneamente: "Durkheim". Confesso que era um pouco complicado no alto dos meus 15 anos compreender perfeitamente o que o professor dizia, pois, eu não tinha o lastro cultural suficiente para entender todas as complexas reflexões ditas. No entanto, o professor se esforçava e eu tentava entender o que David Émile Durkheim se dedicou a fazer entre o final do século 19 até o início do século 20. Bom, só nesta relação descrita acima já estava uma pequena amostra de um trabalho de time: um ensina, o outro aprende o que um terceiro se debruçou a estudar.
 
Nesta aula que mencionei, o professor dedicou o tempo que tinha para nos explicar o amplo estudo do antropólogo francês sobre o Fato Social. Vou me arriscar aqui a tentar resumir e dizer que o fato social é a base de estudo para a sociologia, já que compreende as causas e consequências do comportamento social e, sendo assim, permite ser um balizador para identificar e iniciar uma busca, por exemplo, para a solução dos problemas sociais.
 
Agora te convido a olhar num sentido mais amplo para analisar comportamentos. Neste primeiro final de semana de maio de 2024 só ouvimos falar do show da Madonna no Rio de Janeiro e da catástrofe climática do Rio Grande do Sul, este último com mortes e destruição de cidades. Nestes dois exemplos temos dois eventos completamente opostos. Experiências distintas, sentimentos gerados antagônicos e, mesmo assim ambos eventos mecionados e colocados na mesma frase pelas pessoas a todo momento, seja nas redes sociais ou em rodas de amigos. Por quê?
 
Show da Madonna x Enchentes do RS em números
 
De acordo boletim da Defesa Civil do estado do Rio Grande do Sul, emitido na noite do último domingo (5), quase 850 mil pessoas foram impactadas pelas enchentes. Já no Rio de Janeiro, segundo a prefeitura da capital do estado, 1,6 milhão de pessoas estiveram na praia de Copacabana para assistir o encerramento da The Celebration Tour, turnê que marcou os 40 anos de carreira da cantora. 
Em termos de impacto financeiro, a CNM (Confederação Nacional de Municípios) calcula que, serão necessários R$ 275,3 milhões para cobrir as perdas financeiras do RS, até o momento. Já no outro polo, segundo estima a prefeitura do Rio de Janeiro, o show da cantora americana movimentou cerca de R$ 300 milhões para a economia local.
 
Bom, agora chegou a hora de amarrar as ideias. 
 
Mas isso aqui não é uma coluna sobre a indústria esportiva?
 
Sim. E é agora que a comunidade esportiva dá as caras e que fica mais fácil entender. Bom, expliquei aqui na primeira postagem desse blog que o esporte é para mim, antes de tudo, um indicativo de como eu olho o mundo. E a primeira coisa que aprendi no esporte é que você perde, ganha e participa de qualquer prática sempre em time. No coletivo, mesmo se o esporte for individual. Afinal, você precisa de um(a) treinador(a), de uma organização de campeonato, de um(a) juiz(a) e de um(a) adversário(a) a depender da prática. Então, o esporte é uma ferramenta importantíssima para nos entendermos como sociedade.
 
Quando olhamos para os eventos antagônicos que aconteceram no final de semana vemos que os dois provocaram comunidades distintas que, a todo momento, trabalharam para que ela continuasse existindo. E hoje, com as redes sociais, isso fica ainda mais visível e numa velocidade que nos permite informar e ser informados em tempo real. Quem se solidariza com as vítimas do Rio Grande do Sul entende que é hora de impulsionar toda e qualquer ajuda. E faz por bem. Quem se empolgou com o show da Madonna entende na representatividade da cantora uma importância particular de uma comunidade de fãs que a enxergam como uma guia no entendimento de mundo. E quem é do esporte sabe que ambos os casos são válidos e, que um não exclui o outro, aliás, sabe que é possível juntá-los.
 
O esporte na prática
 
De quando a catástrofe no Sul aconteceu vimos a comunidade esportista se movimentar. O goleiro uruguaio do Internacional Rochet , se disponibilizou a ajudar a distribuir alimentação aos desabrigados. O atacante Diego Costa, do Grêmio , emprestou seu jet ski para resgatar pessoas ilhadas. E um  time de surfistas e demais pessoas dedicadas ao surf  estão indo para o RS para ajudar como for possível. Neste momento o esporte continua cumprindo seu papel social e evidenciando seu poder de ajuda.
 
 Jogadores de futebol do Rio Grande do Sul se mobilizam para realizar doações em solidariedade das vítimas afetadas pelas chuvas - Foto: Divulgação
 
Na observação, pelo viés do entretenimento, eventos como o da Copa do Mundo de Futebol de 2014, Olimpíadas de 2016, Jogos Pan-Americanos entre outras realizações esportivas serviram para mostrar que o Rio de Janeiro, assim como outras cidades do Brasil, tem capacidade para fazer um show da magnitude como o da Madonna.
 
1,6 milhão de pessoas compareceram ao show de Madonna - Foto: Divulgação/Fabio Motta
 
O esporte nas duas frentes mencionadas anteriormente atua como o meio para uma finalidade: dar suporte para a vida das pessoas. Bingo! Tanto é que, se entrarmos no aspecto econômico, o mercado esportivo gira entre R$ 200 bilhões a R$ 350 bilhões por ano no Brasil, segundo dados do Ministério do Esporte, Secretaria Especial do Esporte, IBGE, consultorias, bancos entre outras fontes de informação.
 
Recorrendo a Durkheim para explicar que a comunidade é única saída possível
 
Basicamente, a resposta da provocação acima é: todos somos parte de uma comunidade e vamos lutar para que elas continuem existindo. Claro, nem tudo é positivo nesta história e nem tudo é válido. Há detratores que vão falar mal para evidenciar outro. Mas o que é mais urgente nesse momento é enxergar que o egoísmo em olhar somente da perspectiva própria, aliada a uma falta de empatia é o que mais joga contra: seja o esporte, as vítimas das enchentes do RS, os fãs da Madonna e, provavelmente a incapacidade de entender a obra de Durkheim.
Direito ao esquecimento
Como você classifica a gestão de Aldo Júlio em Rolim de Moura?
Qual pré-candidato à Prefeitura de Ariquemes tem sua preferência?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS