TIROS NA CABEÇA: Tio e sobrinho assassinados no Acre são de RO, filho e neto de policial civil

Naezio e Dalberson são do município de Mirante da Serra, município localizado na região de Ouro Preto do Oeste

TIROS NA CABEÇA: Tio e sobrinho assassinados no Acre são de RO, filho e neto de policial civil

Foto: Divulgação

Descoberta macabra na Rodovia AC-475: corpos são encontrados às margens do Igarapé Santa Helena”.

 

Com esta manchete, o principal site de Acrelândia deu a notícia do assassinato de Naezio da Silva Santos e Dalberson da Silva Santos, encontrados mortos nas primeiras horas da manhã de segunda-feira (6), ambos com perfurações de tiros na cabeça, na rodovia estadual AC-475, localidade conhecida por Ramal Samaúma.

 

Ao lado dos corpos, a motoneta Honda Biz com placa de Plácido de Castro, que era ocupada pelas vítimas de uma execução sumária. A Polícia Militar foi comunicada do crime, e a Polícia Civil de Acrelândia investiga o duplo homicídio. O delegado Dione Lucas é o responsável pelo caso, e há a informação que tio e sobrinho teriam participado de uma festa na noite de domingo.

 

Naezio e Dalberson são do município de Mirante da Serra, município localizado na região de Ouro Preto do Oeste, em Rondônia. Naezio era filho e Dalberson neto do ex-policial civil Joaquim Raimundo da Silva, popularmente conhecido por “Joaquim Aranha”, que trabalhava na delegacia civil de Mirante da Serra.

 

Segundo relatos em Mirante da Serra, o policial Joaquim Aranha se mudou para Acrelândia, Naezio também foi pra o Acre, e Dalberson tinha ido apenas passear na casa dos avós.

 

PAI E FILHO FORAM CONDENADOS POR 2 HOMICÍDIOS EM MIRANTE DA SERRA E OURO PRETO DO OESTE EM 2017

 

Em 2017, Joaquim Aranha e o filho Naezio foram submetidos a Júri Popular após a Polícia Civil descobrir que a pistola do ex-servidor administrativo da instituição, que se valia da função de policial civil, tinha sido usada em dois homicídios ocorridos em Mirante da Serra e Ouro Preto do Oeste.

 

Uma das vítimas morta pela pistola apreendida foi o genro de Joaquim Aranha Jeovani Arrabal, era irmão do farmacêutico Juarez Arrabal de Ouro Preto do Oeste, ele foi assassinado na linha 80 (estrada do Clube Tocari) em 7 de novembro de 2014 com 12 tiros de pistola, sendo cinco disparos na cabeça.

 

A outra vítima de assassinato foi Alex Flávio de Oliveira, que lidava com comércio de compra e venda de gado em Mirante da Serra, e foi assassinado em 31 de janeiro de 2013 dentro do seu veículo.

 

Em março e junho de 2017 pai e filho foram a Júri Popular. Joaquim Aranha foi condenado pela morte do genro enquanto o filho foi condenado pela morte de Alex Flávio. Ambos cumpriram penas, e ganharam benefício da liberdade condicional. Joaquim Aranha se mudou para o Acre, o filho foi também, enquanto o neto teria ido apenas passear.

 

A reportagem do Correio Central aguarda o retorno do delegado de Acrelândia Dione Lucas, responsável pela investigação do duplo homicídio, e a matéria será atualizada.

Direito ao esquecimento
Como você classifica a gestão de Aldo Júlio em Rolim de Moura?
Qual pré-candidato à Prefeitura de Ariquemes tem sua preferência?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS