TRISTEZA: Vândalos depredam prédio do antigo Hotel Vila Rica, em Porto Velho

Donos do imóvel informam que desde o Carnaval, o local se tornou alvo de viciados em drogas

TRISTEZA: Vândalos depredam prédio do antigo Hotel Vila Rica, em Porto Velho

Foto: Reprodução

Um ícone da hotelaria rondoniense e palco das mais concorridas festas de Porto Velho. Assim, foi por muito tempo o Hotel Vila Rica. Localizado no centro da capital, o prédio com  seis andares que comportavam 222 apartamentos era referência em qualidade de hospedagem na região Norte.
 
O Vila Rica já foi o local para a realização de festanças que agitavam a sociedade local como a “Festa do Pijama”; “Santa Claus”; “Feijão e Folia”; feijoada do Zuza Carneiro com a presença de famosas nacionais como Globeleza, Isadora Ribeiro e Sheila Carvalho. Além disso, o hotel já recebeu hóspedes conhecidos como os atores Carlos Vereza, Fábio Assunção, Marcelo Serrado; e as atrizes Lucélia Santos e Ana Paulo Arósio. Além do elenco da minissérie “Mad Maria”, produzida e apresentada pela Rede Globo, em 2005, que  retratou a história da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.
 
Mas tudo isso é passado! O hotel Vila Rica que entrou em operação em 1986, fechou as portas em 2016 para uma anunciada reforma que, na época, a administração do estabelecimento afirmava que era para modernizá-lo. Pois bem, desde então, nunca mais reabriu.
 
O Vila Rica era referência em hotelaria na região Norte
 
Preocupação
 
Hoje, o local é motivo de preocupação para a vizinhança do imóvel que fica na avenida Carlos Gomes, uma das mais valorizadas de Porto Velho. Os moradores da região denunciam que o prédio tem sido vandalizado e servido de refúgio para viciados em drogas. 
 
O imóvel hoje pertence à Faculdade Católica de Rondônia, que adquiriu o prédio com a intenção de transformá-lo em sede da academia. Porém, um novo e moderno campus da faculdade foi construído, próximo ao Espaço Alternativo, em Porto Velho.
 
Assim, os planos para o prédio do antigo Hotel Vila Rica mudaram, e estão sendo pensados outros projetos para a utilização de tão privilegiado espaço.
 
Segundo o vice-reitor da Faculdade Católica, Pedro Abib Hecktheuer, o local de fato está sendo alvo de criminosos.
 
“Estava tudo tranquilo no prédio mas, depois do Carnaval, a coisa degringolou. Tínhamos uma empresa de segurança, um pessoal da limpeza e conservação. Após sofrer invasões, ficamos sem condições de fazermos os trabalhos de manutenção, pois havia pessoas armadas. Como se trata de pessoas com dependência química, houve algumas depredações com o objetivo de obter recursos para a manutenção do vício. Já conseguimos conter essa situação e estamos colocando uma equipe de segurança por 24 horas. A criminalidade está muito grande e, sabemos, o Estado não dá conta da demanda. É um problema sério de segurança pública que temos enfrentado. Mas estamos tomando as medidas necessárias, pois além de causar prejuízos ao patrimônio, está também fetando a vizinhança. É um predio lindo, histórico, muito bem localizado, e ainda veremos lá algo que seguirá dando muito orgulho aos rondonienses”, informou.
Direito ao esquecimento
Como você avalia a gestão do prefeito Armando em Seringueiras?
Qual pré-candidato à Prefeitura de Ouro Preto do Oeste tem sua preferência?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS