BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

INCÊNDIOS: Porto Velho é o município que mais desmatou na Amazônia, diz Imazon

Já entre os estados, Rondônia ficou na quarta posição

Rondoniaovivo - João Paulo Prudêncio

16 de Setembro de 2020 às 09:20

Atualizada em : 17 de Setembro de 2020 às 10:40

Foto: Divulgação

O Sistema de Alerta de Desmatamento do Imazon, instituto de pesquisa estabelecido há 30 anos no estado de Pará, a cidade de Porto Velho, capital de Rondônia, é o município que mais registrou desmatamento em floresta nativa no último mês de agosto de 2020.
 
Em todo o país houve o registro 5.190 km² de mata nativa desmatada na Amazônia neste ano, a cidade de Porto Velho registou apenas no mês de agosto 85 km² de desmatamento. 
 
Já entre os estados, Rondônia ficou na quarta posição entre os que mais desmataram a Amazônia neste ano, ficando atrás apenas do Pará, Amazonas e Acre. 
 
Comparando ao mês de agosto do ano passado, os satélites do Sistema de Alerta de Desmatamento registraram um aumento de 68% na devastação. 
 
O que é o SAD
 
O Sistema de Alerta de Desmatamento é uma ferramenta de monitoramento da Amazônia baseada em imagens de satélites, desenvolvida pelo Imazon em 2008, para reportar mensalmente o ritmo do desmatamento e da degradação florestal na região. 
 
O SAD utiliza atualmente os satélites Landsat 7 (sensor ETM+), Landsat 8 (OLI), Sentinel 1A e 1B e Sentinel 2A e 2b (MSI). Combinando esses satélites, é possível voltar a enxergar a mesma área a cada 5 a 8 dias. 
 
O SAD prioriza o processamento de imagens adquiridas na última semana do mês para detectar e mapear os alertas mensais de desmatamento. Esses satélites permitem detectar desmatamentos com detalhe de 20 a 30 metros. 
 
O Sentinel 1 permite ainda monitorar através de nuvens, usando imagens de radar. Isso aumenta a capacidade de monitoramento no período de chuvas, quando o desmatamento diminui na região.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS