Adeus a Mário Cesar - por Daniel Pereira

Adeus a Mário Cesar - por Daniel Pereira

Foto: Assessoria

Há poucos dias atrás faleceu Mário César Cabral Marques, por trinta anos companheiro de Patrícia Civelli, período em que alimentaram juntos paixões comuns pela arte, cultura, cinema e a história do patrono de nosso estado, o lendário Marechal Candido Mariano da Silva Rondon.

Patrícia é filha do cineasta italiano Mario Civelli, que dentre vasta obra filmou “O Gigante”, com imagens de todas regiões brasileiras, dentre elas da nossa Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.

Tive a satisfação de conhecer  Mario Cesar às margens do Rio Roosevelt, quando era vice-governador, dentro da reserva indígena do povo Cinta Larga, em Espigão D’Oeste, no set de filmagem do filme “O Rio da Dúvida”, baseado no livro “Na Selva Brasileira”,  autoria de Theodore Roosevelt, ex-presidente dos EUA.

Roosevelt narra a viagem de exploração feita por ele e Rondon, na chamada “Expedição Científica Roosevelt - Rondon” a um rio ainda não explorado, chamado de Rio da Dúvida, por não saberem  se ele seria ou não afluente do Rio Madeira.

A odisseia de Rondon e Roosevelt inicia no Paraguai, passa por Mato Grosso, chega à cabeceira do Rio da Dúvida em Vilhena/RO, desagua  no Rio Aripuanã, chega ao Rio Madeira e ao Rio Amazonas, terminada em Belém/PA.

Nessa viajem,  feita em período chuvoso, nos meses iniciais de 1914, Roosevelt quase perdeu a vida na aventura, motivo  pelo qual Rondon o homenageou dando a ele o nome do rio que juntos exploraram: Rio Roosevelt.

Mario Cesar e Patrícia Civelli são também os responsáveis pelo projeto do Memorial Rondon, em Porto Velho, ao lado da centenária igrejinha de Santo Antônio, trabalho que permite às atuais gerações conhecerem o legado de Rondon e parte da história de nosso estado.

Além do Memorial Rondon e o filme “O Rio da Dúvida”, Mario Cesar estava prestando assessoria na recuperação das estações telegráficas construídas  por Rondon em Vilhena (Museu Casa de Rondon) e em Ariquemes, deixando  um livro inédito (Rondon e Roosevelt, embate de personalidades), além de um roteiro para um novo filme contando a história da construção da rede telegráfica que ligou o centro do Brasil às margens do Rio Madeira, sob o do herói que dá nome ao nosso estado.

No final de 2022, tive a oportunidade de ser recebido por Mario Cesar e Patrícia Civelli no   apartamento do casal no Rio de Janeiro, um verdadeiro museu sobre Rondon e a história do cinema e do Brasil.

Nas areias carioca, em uma partida de peteca, Mario Cesar, de forma súbita,  foi levado dessa vida.

Nesse momento de saudades, aproveito a oportunidade para agradecer a ele   por nos ajudar a conhecermos melhor a história do nosso estado, desejando  à amiga Patrícia força para continuar a jornada.

Valeu, Mário!

Abaixo o link do site de “O Rio da Dúvida”, com linda fotos, vídeos e muitas  informações sobre o filme, o qual será exibido em várias cidades de Rondônia, por também ser patrocinado pela superintendência estadual de turismo de nosso estado, no período em que tive a honra de ser governador: https://rondonriodaduvida.com/o-filme/

Direito ao esquecimento
Como você classifica a gestão de Aldo Júlio em Rolim de Moura?
Qual pré-candidato à Prefeitura deAriquemes tem sua preferência?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS