SAÚDE E BEM ESTAR: Incontinência urinária causas, sintomas e tratamentos

Infecções podem irritar a bexiga, levando a episódios temporários de incontinência

SAÚDE E BEM ESTAR: Incontinência urinária causas, sintomas e tratamentos

Foto: Divulgação

A incontinência urinária, condição que afeta milhões de pessoas ao redor do mundo, caracteriza-se pela perda involuntária de urina. Embora muitas vezes subdiagnosticada e subtratada, a incontinência urinária pode impactar significativamente a qualidade de vida dos pacientes. Entender suas causas, sintomas e opções de tratamento é fundamental para quem sofre com esse problema.
 
A incontinência urinária pode resultar de várias condições e fatores. Entre as causas mais comuns estão:
Enfraquecimento dos músculos do assoalho pélvico: Com o passar do tempo ou após eventos como o parto, esses músculos podem enfraquecer, dificultando o controle da bexiga.
Distúrbios neurológicos: Doenças como esclerose múltipla, Parkinson e lesões na medula espinhal podem interferir nos sinais nervosos que controlam a micção.
Infecções urinárias: Infecções podem irritar a bexiga, levando a episódios temporários de incontinência.
Medicamentos: Alguns medicamentos, como diuréticos e sedativos, podem aumentar o risco de incontinência urinária.
Idade: O envelhecimento provoca mudanças na estrutura da bexiga e na função dos músculos do assoalho pélvico.
 
Obesidade: O excesso de peso aumenta a pressão sobre a bexiga e os músculos circundantes.
 
Os sintomas da incontinência urinária variam de acordo com o tipo e a gravidade da condição. Os principais incluem:
Urgência urinária: Uma necessidade súbita e intensa de urinar, muitas vezes acompanhada por uma perda involuntária de urina.
Incontinência de esforço: Perda de urina ao tossir, espirrar, rir ou realizar atividades físicas.
Incontinência por transbordamento: Gotejamento frequente ou constante de urina devido à incapacidade de esvaziar completamente a bexiga.
Incontinência funcional: A perda de urina ocorre porque uma pessoa não consegue chegar ao banheiro a tempo, muitas vezes devido às limitações físicas ou cognitivas.
 
O tratamento da incontinência urinária depende da causa subjacente e da gravidade dos sintomas. As opções incluem:
Mudanças no estilo de vida: Perder peso, reduzir a ingestão de cafeína e álcool, e praticar exercícios para fortalecer os músculos do assoalho pélvico (como os exercícios de Kegel) podem ajudar a melhorar o controle da bexiga.
Terapias comportamentais: Treinamento da bexiga e técnicas de cronograma de micção ajudam a regular os hábitos urinários.
Medicações: Medicamentos podem ajudar a controlar a bexiga hiperativa e reduzir episódios de incontinência.
Dispositivos médicos: Pesários, dispositivos inseridos na vagina, podem ajudar a suportar a uretra e reduzir a incontinência de esforço.
Procedimentos minimamente invasivos: Injeções de agentes de volume e neuromodulação são algumas opções para tratar incontinência persistente.
Cirurgia: Em casos graves, procedimentos cirúrgicos, como a inserção de fitas uretrais, podem ser necessários para corrigir o problema.
 
A incontinência urinária é uma condição comum, mas tratável. Procurar ajuda médica é essencial para obter um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado, possibilitando uma melhora significativa na qualidade de vida.
Direito ao esquecimento
Qual pré-candidato à Prefeitura de Ji-Paraná tem sua preferência?
Como você avalia a gestão do prefeito Cornelio em São Miguel do Guaporé?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS