COMPAIXÃO E CUIDADO: Voluntários pedem atenção de motoristas com animais de rua

Durante feriado do Dia do Trabalhador (01 de maio), população de Porto Velho foi impactada com atropelamento cruel de dois cachorros nas zonas Leste e Sul

Na última quarta-feira, dia 01 de maio, feriado do Dia do Trabalhador, a população de Porto Velho ficou consternada com duas cenas cruéis, quase no mesmo horário, mas em regiões diferentes.

 

Na zona Leste, antes das 07 da manhã, uma mulher que dirigia uma caminhonete passa com as rodas sobre um cachorro e arrasta o animal no asfalto. O rastro de sangue fica no chão e, apesar do animal ter recebido assistência de pessoas que viram o animal na pista (e não da motorista), morreu ainda no local.

 

No bairro Aeroclube, zona Sul da capital, mais impacto ainda: um funcionário da concessionária do transporte público COM PVH, em alta velocidade para uma via residencial e apesar de um grupo de cachorros, não reduz e passa também com as rodas de um ônibus sobre um cão.

 

O bichinho ainda se debateu, mas rapidamente fica imóvel, enquanto os outros “companheiros” o cheiram.

 

Apesar de teoricamente serem atos insanos que poderiam ter sido evitados e que se não fosse câmeras de segurança residenciais, nunca teriam sido descobertos nem divulgados em redes sociais, as perguntas que ficam é: foi maldade mesmo? Faltou ou falta cuidado com os cachorros e gatos que vivem em grande número nas ruas de Porto Velho?

 

Primeiro atropelamento do feriado na zona Leste, quando uma caminhonete passou por cima e arrastou um cachorro no asfalto - Foto: Reprodução de vídeo

 

Para voluntários e grupos que atuam na causa dos bichos de rua, sim, faltou prudência aos motoristas envolvidos nos maus-tratos e consequente morte deles.

 

“Sempre batemos na tecla que a única solução para a superpopulação dos animais de rua de Porto Velho é a castração. Há inúmeros benefícios nisso. Porém, tem também omissão de supostos donos de animais domésticos criados soltos nas ruas. Eles se procriam com animais que já estão nas ruas. É instinto, são animais irracionais. Quando não causam acidentes, são mortos de forma violenta e cruel. Não custa nada desviar, parar para que eles passem”, desabafa Indira Jara, representante do grupo Protetores Voluntários, que atua há 10 anos.

 

Ela completa: “O que a gente percebe no primeiro vídeo é que a mulher desvia de um buraco na rua, mas passa sobre o cachorro. Ela diz que não enxergou o animal. Como assim? Enxerga o buraco que está no chão e não viu um animal que estava de pé? E o tranco que ele fez no carro ao ficar engatado? Isso é um absurdo sem cabimento”.

 

Respostas

 

O voluntário independente Francisco Neves ainda ressalta: “A lei dos maus-tratos contra animais melhorou bastante. Mas se a lei dos ‘homens’ ainda é fraca quando morrem seres humanos, imagina quando animais são assassinados? Ambos os casos são cruéis e demonstram a maldade dos seres humanos. Os motoristas podem argumentar o que quiserem, mas as imagens não mentem. Foram atos de livre e espontânea vontade”.

 

E ele questiona: “Até quando veremos essas cenas que nos enojam e nos deixam perplexos? Sistematicamente vemos histórias de maus-tratos de animais, de cachorros ou gatos serem atropelados e sequer serem socorridos. E o que acontece depois? Não há punição exemplar e os casos são esquecidos”.

 

O vereador Aleks Palitot, em vídeos divulgados nas redes sociais, disse que entrou em contato com o secretário Estadual de Segurança Pública, Felipe Vital, com o secretário municipal de Transporte e Trânsito, Anderson Pereira e outras instituições, onde cobrou respostas para os dois casos.

 

“O momento é de fato de reflexão. Temos muitos problemas na cidade de Porto Velho: violência, segurança pública, saúde, infraestrutura e educação. Mas não podemos por isso negligenciar uma situação como essa. Não é normal e se faz necessário mudança no comportamento cultural do cidadão em relação às suas responsabilidades com os seres vivos, inclusive os PETS. Já informamos a Secretaria de Segurança Pública do Estado, a Secretaria Municipal de Trânsito e também a Secretaria de Meio Ambiente para que as providências cabíveis sejam tomadas”, pontuou ele.

 

 

O delegado Stanley Talhari, que atua na Polícia Civil de Rondônia, e é um defensor da causa dos animais de rua, entrou em contato com o Rondoniaovivo sobre o caso da caminhonete que passou por cima do cachorro na zona Leste e informou que “o veículo e o proprietário foram identificados. Agora os trabalhos seguem pela delegacia de crimes ambientais na presidência do Dr. Marcio Belchior. Esse motorista atingiu o animal propositalmente e responderá por isso”.

 

Sobre o atropelamento do outro cachorro na zona Sul, ele foi categórico: “Esperamos no mínimo a demissão desse motorista, pois se fosse crianças agiria da mesma forma. É um risco e sem amor”.

 

Somente dois dias depois do fato, no dia 03 de maio (quinta-feira), a COM PVH se manifestou com uma nota de esclarecimento publicada em suas redes sociais, que será republicada abaixo:

 

Galeria de Fotos da Notícia

COMPAIXÃO E CUIDADO: Voluntários pedem atenção de motoristas com animais de rua

Direito ao esquecimento
Qual loja você acha que deve receber a nova Estátua da Liberdade da Havan?
Como você avalia a gestão do prefeito Lezão em Rio Crespo?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS