CAOS AÉREO: Rondônia sofre há 10 meses e solução pode ser empresas estrangeiras

Estado chega a 300 dias com poucos voos e preços nas alturas; consumidores enfrentam malabarismos de ônibus para conseguir passagens menos caras

CAOS AÉREO: Rondônia sofre há 10 meses e solução pode ser empresas estrangeiras

Foto: Reprodução da internet/Ilustrativa

Rondônia completa nesta semana 300 dias ou 10 meses quase isolada do restante do país por via aérea. Com pouquíssimos voos saindo de Porto Velho, os preços estão nas alturas.

 

Com isso, quem precisa viajar, seja a negócios, para visitar parentes, compromissos ou motivos de saúde, tem que enfrentar diversos malabarismos para conseguir passagens menos caras.

 

 

Mas para isso, tem que ir para um dos estados vizinhos: Acre ou Mato Grosso. É o caso da empresária Ana Clara, proprietária de loja no shopping de Porto Velho, que publicou stories no Instagram.

 

 “Meu pai: 70 anos, desbravou RO. Trabalhou sem parar por 40 anos nesse estado. Agora tem que pegar ônibus para ir até o Acre para pagar ainda um absurdo, porém metade do valor que seria saindo de RO! Pensem nos idosos, nos cadeirantes, nas pessoas com problemas reais! Precisamos fazer algo! Regredimos 20 anos! Estamos acabando Rondônia!!!”.

 

 

Durante um evento em Brasília (DF) no dia 26 de março, chamado de Rondônia Day, um deputado federal anunciou com pompa que Rondônia terá mais um voo diário entre Porto Velho e Guarulhos que será operado pela Latam. Será suficiente para atender a demanda e os preços serão reduzidos? A conferir a “novidade”.

 

 

 

Comissão

 

A comissão contra o caos aéreo em Rondônia, liderada pelo advogado especializado em Direito do Consumidor, Gabriel Tomasete, e composta por representantes da Federação do Comércio de Rondônia (Fecomércio), Associação Comercial de Porto Velho (ACEP), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Associação Brasileira das Agências de Viagens em Rondônia (ABAV) participará nesta sexta-feira (05), às 09 da manhã, de reunião com o secretário Estadual de Finanças, Luís Fernando Pereira da Silva, para tratar sobre a falta de voos no estado.

 

Próximas medidas

 

Na terça-feira (09), a comissão se reunirá na sede da Fecomércio para pensar em soluções conjuntas, sendo a mais cogitada a luta pela abertura do mercado aéreo para empresas que atuam na Pan Amazônia. Ainda, os membros discutirão conjunto de ações para que a luta ganhe ainda mais força e envolva os estados vizinhos.

 

Já no dia 11 haverá reunião com o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa de Rondônia (Alero), deputado estadual Lucas Torres (PP), que se colocou à disposição da comissão.

 

Aeroportos do interior

 

Gabriel Tomasete conta que a Comissão pleiteou formalmente ao Estado informações sobre as obras e adequações realizadas nos aeroportos de Ji-Paraná, Cacoal e Vilhena, por determinação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

 

“Estamos colhendo diversas provas de que a ANAC gerou expectativas de ampliações de voos que não se concretizaram. E, pior, a ‘reguladora’ tem permitido a retirada de voos sem qualquer justificativa pelas empresas”, explicou o advogado.

Galeria de Fotos da Notícia

CAOS AÉREO: Rondônia sofre há 10 meses e solução pode ser empresas estrangeiras

Direito ao esquecimento
Como você avalia a gestão do prefeito Armando em Seringueiras?
Qual pré-candidato à Prefeitura de Ouro Preto do Oeste tem sua preferência?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS